Jovem ataca militar em Milão e é acusado de terrorismo

Iemenita de 23 anos agrediu cabo com golpes de tesoura

Ambulância em frente à Estação Central de Milão
Ambulância em frente à Estação Central de Milão (foto: ANSA)
19:06, 17 SetMILÃO ZLR

(ANSA) - Um jovem iemenita de 23 anos foi preso em Milão, na Itália, acusado de cometer "atentado terrorista" ao ferir um militar com uma tesoura em frente à Estação Central da cidade.

O crime ocorreu na manhã desta terça-feira (17), quando o cabo Matteo Toia, de 34 anos, foi surpreendido com uma agressão por trás. Os golpes atingiram suas costas e seu pescoço, mas apenas de maneira superficial, e o militar passa bem.

Já o agressor, Mahamad Fathe, foi preso logo em seguida, com a ajuda de um senegalês que o impediu de fugir da polícia, e também responderá por tentativa de homicídio e violência contra oficial. O Ministério Público de Milão ainda investiga possíveis ligações com grupos terroristas islâmicos, mas suspeita de ação solitária - Fathe gritou "Allahu Akbar" ("Deus é grande" em árabe) após o ataque.

O iemenita chegou na Itália em 2017 e foi encaminhado a um centro de acolhimento em Bergamo, mas fugiu para a Alemanha antes da conclusão de seu pedido de refúgio. Em 12 de julho de 2019, no entanto, o governo alemão o expulsou para a Itália, com base na Convenção de Dublin, que determina que solicitantes de refúgio fiquem sob responsabilidade do país de entrada na União Europeia.

Na madrugada anterior ao ataque, Fathe já havia ameaçado pessoas nos arredores da Estação Central com uma caneta e gritando frases desconexas. Ele chegou a ser detido e denunciado por violência, mas saiu da delegacia e voltou ao mesmo local, onde agrediria o policial.

Segundo fontes próximas à investigação, o iemenita teria dito em interrogatório que esperava "morrer" e "alcançar o paraíso de Deus". (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA