Ex-prefeito de Amatrice vira réu por mortes em terremoto

Cidade italiana foi devastada por tremor de terra em 2016

Escombros de prédio destruído por terremoto no centro de Amatrice em 2016
Escombros de prédio destruído por terremoto no centro de Amatrice em 2016 (foto: ANSA)
14:19, 11 OutRIETI ZLR

(ANSA) - O ex-prefeito de Amatrice Sergio Pirozzi e mais cinco indivíduos viraram réus na Justiça da Itália por causa do desabamento de um prédio residencial de três andares em função do terremoto que devastou a cidade em 24 de agosto de 2016.

A queda da construção deixou sete mortos. Além de Pirozzi, hoje conselheiro regional do Lazio pelo partido de extrema direita Irmãos da Itália (FDL), são réus o projetista Ivo Carloni, o comandante do Corpo de Bombeiros de Amatrice, Gianfranco Salvatore, e três técnicos do órgão municipal de fiscalização de obras, Valerio Lucarelli, Giovanni Conti e Maurizio Scacchi.

Os acusados respondem por múltiplo desastre culposo (quando não há intenção de cometer o crime), múltiplo homicídio culposo e lesões pessoais culposas. O processo começará em 6 de fevereiro de 2020, no Tribunal de Rieti, província aonde fica Amatrice.

Segundo o Ministério Público, o prédio foi reformado após o terremoto de L'Aquila, em 2009, mas sem respeitar normas antissísmicas, o que acabou provocando seu desabamento no tremor de 2016.

"Estamos satisfeitos porque teremos a possibilidade de ver reconhecidas as responsabilidades humanas que a Procuradoria e as perícias evidenciaram", disse Wania Della Vigna, advogada dos familiares das vítimas.

O terremoto de Amatrice matou 299 pessoas, sendo 238 apenas nessa cidade, e deu início a uma sequência sísmica no centro da Itália que segue ativa até hoje, embora enfraquecida. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA