Itália testará voto eletrônico para cidadãos no exterior

Emenda destina 1 milhão de euros para experimentos

Atualmente, os cidadãos italianos que residem no exterior mandam seus votos pelo correio, por meio dos consulados
Atualmente, os cidadãos italianos que residem no exterior mandam seus votos pelo correio, por meio dos consulados (foto: ANSA)
17:51, 12 DezROMA ZLR

(ANSA) - A Comissão de Orçamento do Senado aprovou na última terça-feira (10) a destinação de 1 milhão de euros para financiar um projeto-piloto de voto eletrônico.

A medida foi aprovada como emenda ao projeto de Lei Orçamentária do governo para 2020, que tramita no Senado. O dinheiro será usado pelo Ministério do Interior para testar modelos de eleição por voto eletrônico, voltados sobretudo aos italianos que vivem no exterior ou que estejam fora de suas cidades por motivos de estudo, trabalho ou tratamento médico.

Atualmente, cidadãos residentes fora das fronteiras da Itália podem participar de processos eleitorais e referendos por meio do voto pelo correio, mas esse mecanismo já foi alvo de inúmeras denúncias de fraude - nunca comprovadas pela Justiça. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA