Itália registra 2ª morte ocasionada pelo coronavírus

Número de casos de Covid-2019 aumentou para mais de 40 no país

Itália registra 2ª morte ocasionada pelo coronavírus (foto: )
10:56, 22 FevROMA ZRS

(ANSA) - A Itália registrou neste sábado (22) a segunda morte ocasionada pelo Covid-2019, doença provocada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2). Fontes de saúde confirmaram à ANSA que a vítima é uma mulher de mais de 70 anos residente na região da Lombardia, no norte do país.

A idosa morava sozinha em uma casa na cidade de Casalpusterlengo e teria sido infectada porque nos últimos dias esteve em um hospital de Codogno, na província de Lodi, onde foi identificado o primeiro caso de coronavírus na Lombardia. A pessoa infectada foi um homem de 38 anos.

Até o momento, o nome da mulher não foi revelado pelas autoridades, mas ela estava enfraquecida por uma pneumonia e estaria aguardando os resultados dos exames que fora submetida.

O primeiro falecimento ocasionado pela epidemia na Itália, que já contabiliza mais de 40 casos de Covid-2019, maior número entre os países da Europa, foi de um homem de 78 anos, Adriano Trevisan. Ele estava internado no Hospital de Schiavonia, em Pádua, que foi fechado hoje (22) pelas autoridades.

O primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, lamentou as duas mortes em uma publicação no seu perfil do Facebook: "Meus pensamentos e as condolências de todo o governo vão para as duas vítimas e suas famílias. Estamos trabalhando incansavelmente para reagir com o máximo de compacidade a essa emergência".

Infecções

A Itália registrava até a última quinta-feira (2) somente três casos de coronavírus. No entanto, o balanço disparou nesta sexta com o anúncio dos dois casos no Vêneto e de 15 na província de Lodi.

Em apenas um dia, o número de casos já subiu para 40. Até o momento, as autoridades de saúde da Itália registraram 39 na Lombardia, 11 no Vêneto e um no Lazio.

Na Lombardia, as infeccções se espalharam pela província de Pavia, onde dois médicos naturais da cidade de Pieve Porto Morone adoeceram. Fontes de saúde disseram à ANSA que os dois vão ser hospitalizados no departamento de doenças infecciosas do hospital San Matteo.

O governo regional da Lombardia fechou todos os estabelecimentos público, entre eles escolas, prédios administrativos e lojas. Além disso, aconselhou para que a população não saia de suas residências. Até o momento, 10 pequenas cidades do país já foram isoladas.

"Não devemos semear o pânico, mas precisamos fazer as pessoas entenderem que as medidas tomadas são essenciais para o bem da comunidade", disse Attilio Fontana, governador da Lombardia.

Um avião das Forças Aéreas chegou hoje (22) em Roma, na Itália, com 19 italianos que estavam a bordo do cruzeiro em quarentena Diamond Princess. Todos foram levados para uma unidade do Exército, onde vão seguir o período de isolamento.

 As medidas para tentar conter a epidemia na Itália serão debatidas em uma reunião de emergência que vai ser feita na sede da Proteção Civil do Vêneto, em Marghera. Entre os participantes estarão o governador da região, Luca Zaia, e o ministro da Saúde do país, Roberto Speranza.

Primeira cura

Segundo as autoridades do Lazio, os exames no chinês que foi hospitalizado com sua esposa em Spallanzani teria dado negativo para o coronavírus. Isso o tornaria o primeiro paciente na Itália que se recuperou completamente da doença.

A mulher dele, que também é chinesa, está em terapia intensiva e é previsto que em alguns dias ela possa deixar a unidade e ir para a enfermaria.

"Expressamos nosso maior respeito aos médicos e enfermeiros de Spallanzani que fizeram esforços para salvar os dois cidadãos chineses. A melhoria deles é uma boa notícia para todos", disse um representante da embaixada chinesa em uma coletiva de imprensa.(ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA