Preços de hortifruti na Itália se mantêm mesmo com epidemia

País está vivendo um isolamento desde o dia 10 de março

Laranjas tiveram alta no preço por fatores sazonais (foto: Ansa/PXHERE)
11:23, 19 MarROMA ZGT

(ANSA) - A pandemia causada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2) na Itália, que colocou o país em isolamento desde o dia 10 de março, não provocou aumento de preços em um dos setores mais importantes para as compras familiares: frutas, legumes e verduras.

De acordo com a Bolsa de Mercadorias Telemáticas Italianas (BMTI) e a rede de empresas Italmercati, as análises mostram que "houve tendências regulares em comparação com períodos anteriores caracterizados por uma demanda substancial".

Em nota, as entidades afirmam que os únicos produtos que tiveram uma alta maior foram as laranjas, as maçãs e as batatas. De maneira especial, as laranjas tiveram um aumento por uma combinação de dois fatores: por conta da exaustão da produção e do aumento da procura pela fruta por seu alto valor vitamínico. A mesma coisa aconteceu com as maçãs, que ainda teve uma diminuição no trabalho dos funcionários das empresas do setor por conta da propagação da doença.

Já a batata foi o único produto que apresentou uma leve alta sem um motivo específico, mas é previsto que ela volte aos preços normais nas próximas semanas por conta de uma grande quantidade do produto que está estocada nos campos.

A Itália é o segundo país do mundo em número de casos da epidemia de coronavírus. São 35.713 infectados e 2.978 mortos. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA