Veículos militares voltam a Bergamo para remover corpos

Crematórios da província estão sobrecarregados

Fila de caminhões militares em Bergamo, norte da Itália, na última quarta-feira (18)
Fila de caminhões militares em Bergamo, norte da Itália, na última quarta-feira (18) (foto: )
09:23, 21 MarBERGAMO ZLR

(ANSA) - Caminhões militares voltaram a se enfileirar neste sábado (21) na entrada do cemitério monumental de Bergamo, norte da Itália, para levar dezenas de caixões de vítimas do novo coronavírus (Sars-CoV-2) que se acumulavam na câmara mortuária.

Apenas na última sexta, 88 pacientes da Covid-19 morreram na província, que soma 5.154 casos do novo coronavírus, o maior número em toda a Itália. Com isso, os fornos crematórios do cemitério de Bergamo estão sobrecarregados e não conseguem dar conta de todos os mortos.

Na noite de quarta (18), as imagens da fila de caminhões militares para transportar os corpos já haviam causado comoção no mundo inteiro. "Ainda esperamos para ver a luz no fim do túnel", disse o prefeito de Bergamo, Giorgio Gori.

Ao todo, os veículos militares removeram na manhã deste sábado 70 caixões, sendo que 50 deles foram levados para cemitérios da província de Ferrara, na Emilia-Romagna, também no norte. A Itália contabiliza 47.021 casos do novo coronavírus e 4.032 mortos. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA