Itália começa a testar 5 vacinas contra coronavírus

Estudos em ratos devem seguir até meados de maio

'Tudo vai ficar bem', diz faixa pendurada em apartamento em Gênova, na Itália
'Tudo vai ficar bem', diz faixa pendurada em apartamento em Gênova, na Itália (foto: ANSA)
13:06, 30 MarROMA ZLR

(ANSA) - O Ministério da Saúde da Itália autorizou o início dos testes em ratos de cinco vacinas contra o novo coronavírus (Sars-CoV-2).

Os estudos são conduzidos pela empresa de biotecnologia Takis Biotech, sediada em Roma, capital da Itália, e os resultados são previstos para meados de maio, após análise da companhia e do Instituto Lazzaro Spallanzani, hospital referência em doenças infecciosas no país.

Em entrevista à ANSA, o CEO da Takis, Luigi Aurisicchio, disse que os testes em humanos podem começar no outono europeu, entre setembro e dezembro. O estudo prevê uma primeira dose das vacinas em ratos, seguida de um reforço.

"Selecionaremos aquela que se mostrar mais potente para induzir anticorpos contra a Covid-19 [doença provocada pelo novo coronavírus]", explicou Aurisicchio. As cinco vacinas foram obtidas a partir de materiais genéticos correspondentes a diferentes partes do Sars-Cov-2 que apresentam a proteína "spike", que o vírus utiliza para agredir as células e se multiplicar.

Todas elas se baseiam em uma tecnologia chamada eletroporação, que consiste em um impulso elétrico no músculo para aumentar a permeabilidade das membranas celulares. A empresa conseguiu iniciar essa etapa dos testes sem recursos externos, mas, para dar sequência aos estudos, lançou uma campanha de financiamento coletivo. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA