Itália rebate UE após pedido de desculpas por resposta ao coronavírus

Ursula von der Leyen se desculpou por forma que lidou com doença

Ministro das Relações Exteriores da Itália, Luigi Di Maio, com máscara de proteção
Ministro das Relações Exteriores da Itália, Luigi Di Maio, com máscara de proteção (foto: ANSA)
19:05, 02 AbrROMA ZCC

(ANSA) - A Comissão Europeia pediu desculpas para a Itália nesta quinta-feira (2) pela maneira como agiu em relação à crise do novo coronavírus (Sars-CoV-2), que já matou quase 14 mil pessoas no país.

Em declaração ao jornal La Repubblica, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, disse que os outros países do bloco não perceberam que essa pandemia só pode ser derrotada "juntos, como uma União" e isso "foi prejudicial e poderia ter sido evitado".

Desde o início da pandemia e do crescimento de casos na Itália, o país tem pedido ajuda econômica para nações da UE devido ao impacto das medidas restritivas anunciadas para tentar conter o avanço do coronavírus.

No entanto, países como Alemanha, Holanda e Áustria têm se recusado por causa do histórico de dívidas da Itália. Mas, segundo von der Leyen, atualmente, "a Europa está se unindo ao lado da Itália" na luta contra a Covid-19, que já contaminou mais de um milhão de pessoas em todo o mundo.

O ministro das Relações Exteriores da Itália, Luigi Di Maio, por sua vez, rebateu o pedido de desculpas feito pela presidente da Comissão Europeia e disse que "deve ficar claro que não há União Europeia sem a Itália".

"Estamos diante de uma crise econômica sem precedentes e a Europa deve entender isso", afirmou o chanceler, acrescentando que o governo italiano disse à UE que gastará todo dinheiro necessário para ajudar empresas, trabalhadores, jovens e idosos.

Até agora, a Itália já contabilizou 13.915 vítimas e mais de 115 mil contágios, de acordo com balanço da Defesa Civil. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA