Região italiana afrouxa quarentena e libera parte do comércio

Lojas de roupas infantis, livrarias e papelarias podem reabrir

Livrarias estão entre aquelas empresas autorizadas a reabrir
Livrarias estão entre aquelas empresas autorizadas a reabrir (foto: ANSA)
10:18, 24 AbrVENEZA ZGT

(ANSA) - O governo do Vêneto, na Itália, anunciou uma série de medidas de relaxamento para o comércio da região como parte da fase dois do combate à pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2).

A partir das 15h (10h no horário de Brasília) desta sexta-feira (24), os donos de confeitarias e sorveterias poderão vender seus produtos para viagem - até agora era só permitido a entrega em casa -, mas continua valendo a proibição de consumo no interior dos estabelecimentos. Livrarias, papelarias e lojas de roupas para crianças poderão reabrir, respeitando a regra válida para clientes e lojistas de usar máscara de proteção e luvas, bem como manter a distância de um metro entre as pessoas.

"Nós raspamos o fundo do barril, cortando tudo aquilo que podíamos de acordo com a legislação. Mas, que fique claro, isso não é uma liberação total", explicou o governador Luca Zaia, ressaltando que a medida não contraria as decisões já tomadas pelo governo italiano e as que estão em debate e devem entrar em vigor a partir de 4 de maio.

"A nossa ordem de hoje não tem nenhuma finalidade de contrapor aquelas que serão as medidas nacionais. É uma interpretação e uma reorganização, em muitos casos de alinhamento, com outras realidades regionais e com o próprio decreto vigente. Para a reabertura verdadeira, nós continuamos na espera das determinações do Governo, que nesse momento está ouvindo todas as partes interessadas, na esperança de que os pedidos das regiões sejam acolhidos", disse Zaia à ANSA.

Segundo dados do governo local, foram analisados os números do Vêneto entre 13 e 24 de abril para tomar uma decisão e, como há "uma tendência que já dura duas semanas", as medidas foram anunciadas.

"No dia 13 de abril, tínhamos 1.672 [pessoas] hospitalizadas e 254 na terapia intensiva. Depois de 11 dias, são 400 internações a menos e o número nas UTIs caiu pela metade", reforçou ainda.

A ordem de hoje segue uma flexibilização que começou a ser anunciada no dia 13 de abril, quando o governo regional liberou a circulação de pessoas por áreas que fiquem a mais de 200 metros de suas residências e obrigou o uso de máscaras de proteção em público, entre outros.

Zaia, que pertence ao partido de oposição de extrema direita Liga, é um dos governadores que mais está pressionando o premier Giuseppe Conte para a reabertura econômica pós-pandemia. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA