Itália destinará 225 milhões de euros a livrarias e museus

Objetivo é ajudar o setor cultural no pós-quarentena

Livraria Feltrinelli em Roma, capital da Itália
Livraria Feltrinelli em Roma, capital da Itália (foto: ANSA)
14:35, 14 MaiROMA ZLR

(ANSA) - O governo da Itália aprovou a instituição de um fundo de 225 milhões de euros, o equivalente hoje a R$ 1,35 bilhão, para apoiar livrarias, o setor editorial, museus e outros locais de cultura afetados pela pandemia do novo coronavírus.

Os recursos estão previstos em um decreto-lei (versão italiana da medida provisória) aprovado pelo Conselho dos Ministros na noite desta quarta-feira (13).

No entanto, segundo o ministro dos Bens Culturais, Dario Franceschini, o governo ainda definirá os critérios para destinar os recursos do fundo.

"Agora analisaremos com rapidez como repartir o fundo entre as categorias. No que diz respeito às livrarias, os critérios de utilização serão o mais equilibrados possível", declarou Franceschini, em uma transmissão ao vivo no Facebook.

As livrarias foram o primeiro setor do comércio a reabrir as portas na Itália, em 14 de abril, ao lado de papelarias e de lojas de produtos para crianças.

O decreto do governo também prevê a destinação de 100 milhões de euros em 2020 para garantir o funcionamento de museus e lugares de cultura fechados por conta da pandemia de coronavírus. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA