Premier italiano diz que retomada tem 'risco calculado'

Governadores elogiaram último decreto publicado pelo governo

Conte fez primeira coletiva de imprensa física, sem ser por videoconferência, desde março
Conte fez primeira coletiva de imprensa física, sem ser por videoconferência, desde março (foto: )
13:51, 17 MaiROMA ZGT

(ANSA) - O primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, afirmou em coletiva de imprensa na noite deste sábado (16) que o país está fazendo o afrouxamento das rígidas regras para enfrentar a pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2) com um "risco calculado aceitável".

"As medidas da Fase 1 produziram os resultados esperados, assim poderemos partir novamente com confiança e senso de responsabilidade. As regiões devem assumir as suas responsabilidades. Enfrentamos um risco calculado aceitável, a curva de contágios poderá voltar a subir, e serão possíveis novos fechamentos", disse em sua primeira coletiva presencial desde março.

A partir dessa segunda-feira (18), serão reabertos os serviços de atendimento pessoal, como barbearias, salões de beleza, centros estéticos, spas, e de atendimento direto ao público, como bares, restaurantes, sorveterias e praias. Também estão permitidas celebrações religiosas e o reencontro com amigos, respeitando medidas de distanciamento social.

O decreto em si foi assinado na tarde deste domingo (17).

Apenas as movimentações entre as regiões e as fronteiras nacionais ficarão fechadas até o dia 3 de junho, com exceções para casos de emergência comprovada. Um dos mais críticos governadores a Conte, o líder da Ligúria, Giovanni Toti, celebrou o anúncio e disse que com o novo decreto "chegou ao fim o confronto entre regiões e governo".

"São 3h20 da manhã. Chegou ao fim o confronto entre regiões e governos sobre o decreto que deverá reabrir a Itália a partir de segunda-feira. No acordo, as bases das regiões serão beneficiadas pelo decreto, de maneira a dar segurança a todos os operadores econômicos com as regras certas e aplicáveis. Ao país, serve simplicidade e clareza", escreveu Toti em sua página do Facebook.

Outro crítico ao governo de Roma, o governador do Vêneto, Luca Zaia, também informou que o decreto regional está pronto "só esperando a minha assinatura".

A Itália vem reabrindo, desde o dia 4 de maio, diversos setores econômicos para a retomada da "nova normalidade" de enfrentamento da Covid-19. Até o momento, são 224.760 casos confirmados da doença por todo o país e há 31.763 mortes. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA