Sabemos pouco sobre eficácia da hidroxicloroquina, diz agência de remédios da Itália

Órgão também alertou para possíveis danos causados pelo medicamento

Produção de fosfato de cloroquina em indústria farmacêutica de Jiangsu, na China
Produção de fosfato de cloroquina em indústria farmacêutica de Jiangsu, na China (foto: EPA)
09:02, 22 MaiROMA ZLR

(ANSA) - O diretor-geral da Agência Italiana de Medicamentos (Aifa), Nicola Magrini, disse nesta sexta-feira (22) que ainda há poucas informações sobre a eficácia da hidroxicloroquina contra o novo coronavírus.

Em coletiva de imprensa em Roma, Magrini foi questionado sobre o andamento dos estudos relativos ao remédio, geralmente usado contra malária e lúpus e que é citado por Donald Trump e Jair Bolsonaro como possível cura para a Covid-19.

"Sabemos pouco sobre sua eficácia, mas estamos bastante seguros sobre os possíveis danos e a falta de segurança em alguns limitados subgrupos de pacientes", declarou o diretor da Aifa, agência do governo da Itália responsável pela liberação de medicamentos.

As autoridades sanitárias do país autorizaram testes com cloroquina e hidroxicloroquina no tratamento contra o novo coronavírus, mas nenhum estudo produziu resultados conclusivos até o momento. No Brasil, o governo Bolsonaro orientou seu uso em todos os tipos de casos, apesar da falta de comprovação científica da sua eficácia. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA