Salvini pede julgamento 'justo' sobre denúncia por sequestro

Ex-ministro enviou carta e telefonou ao presidente da Itália

Ex-ministro enviou carta e telefonou ao presidente da Itália
Ex-ministro enviou carta e telefonou ao presidente da Itália (foto: ANSA)
15:53, 22 MaiROMA ZCC

(ANSA) - O ex-ministro do Interior da Itália Matteo Salvini enviou nesta quinta-feira (21) uma carta ao presidente Sergio Mattarella na qual apela por um "julgamento justo" sobre a denúncia por sequestro envolvendo o caso do navio Gregoretti.

Salvini tem uma audiência preliminar marcada para outubro deste ano para prestar esclarecimentos por ter impedido o desembarque de 131 imigrantes que tinham sido resgatados em julho de 2019 pela embarcação, a qual pertence à Guarda Costeira da Itália.

A proibição do líder da Liga, de extrema direita, que à época era ministro do Interior, fez com que os imigrantes ficassem no navio por mais de três dias, até que o governo italiano conseguisse fechar um acordo para que outros países da União Europeia (UE) acolhessem parte dos viajantes.

O pedido de Salvini foi feito após um artigo no jornal "La Verità" afirmar que alguns magistrados da Corte de Catânia, em suas conversas particulares, teriam concordado em "atacá-lo".

"Apelo ao seu papel institucional, como presidente da República e do Conselho Superior do Judiciário, para que possa garantir, como deve ser garantido a todos os cidadãos, o direito a um julgamento justo, perante um terceiro e imparcial juiz", escreveu Salvini, que atualmente é senador e tem foro privilegiado.

Em um telefonema, o ex-ministro reforçou a Mattarella que está preocupado com a "falta de serenidade do julgamento", principalmente porque agora "é inegável que a confiança no judiciário oscilou com a presença de notícias sobre as intenções de alguns importantes juízes italianos".

A expectativa é de que o Conselho de Imunidade do Senado retome as discussões sobre o caso a partir do dia 25 de maio. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA