Itália reabrirá fronteiras aos turistas da UE em 3 de junho

Chanceler criticou Grécia por incluir italianos em 'lista negra'

Chanceler italiano criticou Grécia por incluir italianos em 'lista negra'
Chanceler italiano criticou Grécia por incluir italianos em 'lista negra' (foto: EPA)
17:02, 30 MaiROMA ZCC

(ANSA) - A partir do próximo dia 3 de junho, o governo da Itália irá reabrir suas fronteiras para turistas da União Europeia (UE) e retirará o isolamento obrigatório de 14 dias para estrangeiros vindos das nações que fazem parte do acordo de Schengen, que permite a livre circulação entre os países do bloco, e do Reino Unido.

A medida também prevê que a obrigação da quarentena seja retirada para todos os outros europeus a partir do dia 15 de junho, conforme indicado no novo decreto de reabertura do país devido ao arrefecimento da pandemia do coronavírus (Sars-CoV-2).

Além disso, a decisão inclui a liberação de viagens intra-regionais por toda a Itália, sem restrições, já na quarta-feira (3).

O turismo é um dos principais setores da economia italiana e tem sido duramente afetado desde o dia 10 de março, quando o país, um dos mais afetados, decretou uma série de medidas preventivas contra a propagação da Covid-19.

A reabertura das fronteiras acontece no momento em que a Itália foi incluída em uma "lista negra" pela Grécia, que anunciou a reabertura de seus aeroportos de Atenas e Tessalônica a turistas de 29 países a partir do dia 15 de junho e barrou os visitantes italianos.

Hoje, em uma publicação no Facebook, o ministro das Relações Exteriores da Itália, Luigi Di Maio, sem fazer referência ao caso, pediu respeito e ressaltou que os italianos não são "lazarentos".

"Não me parece a hora de fazer polêmica, mas quero dizer uma coisa claramente: exigimos respeito. Se alguém pensa em nos tratar como um lazarento, saiba que não permaneceremos imóveis", escreveu.

"Precisamos de uma resposta europeia, porque se agirmos de maneira diferente e decomposta, o espírito da UE estará perdido e a Europa entrará em colapso", acrescentou.

O chanceler italiano ainda ressaltou que é preciso "sempre medir palavras e ações" e que "a paciência tem um limite". "Há um fato que afirmo com orgulho: a Itália é linda, única, tem maravilhas loucas, praias fantásticas. E provavelmente não tem rivais".

Di Maio também aproveitou para anunciar que estará em uma missão na Alemanha no próximo dia 5 de junho, na Eslovênia em 6 de junho e na Grécia no dia 9.

"Nessas reuniões explicarei aos meus colegas que a Itália está pronta, a partir de 15 de junho, a receber turistas estrangeiros e que agiremos com a máxima transparência.

"A situação interna, todos os dados sobre infecções, sempre serão públicos. Não aceitamos listas negras e não temos nada a esconder, pelo contrário. Sempre agimos com responsabilidade e transparência e continuaremos a fazer isso", finalizou. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA