Ex-premiê da Itália critica gestão de pandemia no Brasil

Matteo Renzi comparou seu rival Matteo Salvini a Jair Bolsonaro

O ex-primeiro-ministro Matteo Renzi, que governou a Itália entre 2014 e 2016
O ex-primeiro-ministro Matteo Renzi, que governou a Itália entre 2014 e 2016 (foto: ANSA)
08:23, 26 JunTERAMO ZLR

(ANSA) - O senador e ex-primeiro-ministro da Itália Matteo Renzi afirmou nesta quinta-feira (25) que a gestão da pandemia do novo coronavírus no país teria sido igual à do "Brasil de Bolsonaro" se o governo tivesse dado ouvidos ao líder da oposição Matteo Salvini.

Premiê entre 2014 e 2016, Renzi lidera o partido de centro Itália Viva (IV) e é um dos principais fiadores do segundo governo de Giuseppe Conte, também apoiado pelo populista Movimento 5 Estrelas (M5S) e pelo Partido Democrático (PD), de centro-esquerda.

O ex-primeiro-ministro entrou para o governo após o rompimento da aliança entre o M5S e a Liga, legenda de extrema direita liderada por Salvini. "Fizemos isso porque Salvini estava pedindo 'plenos poderes'. Se tivéssemos escutado Salvini, teríamos tido uma gestão da emergência sanitária como aquela do Brasil de Bolsonaro", afirmou Renzi durante um evento em Teramo.

Colega do ex-premiê no Senado, Salvini também é ex-ministro do Interior e aliado do presidente Jair Bolsonaro no cenário internacional. Ainda assim, também na quinta-feira, admitiu que o Brasil enfrenta um "problema enorme" na pandemia.

A Itália chegou a ser o país mais atingido pela crise sanitária no mundo e totaliza 239,7 mil casos (397/100 mil habitantes) e 34,7 mil óbitos (57/100 mil hab.), mas vem registrando menos de 100 mortes por dia há quase um mês.

Já o Brasil, aonde a crise chegou depois, tem cerca de 1,2 milhão de casos (584/100 mil hab.) e 55 mil óbitos (26/100 mil hab.), de acordo com o Ministério da Saúde. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA