Governador italiano reclama de quem passa férias no exterior

Líder da Toscana disse que cidadãos precisam 'entender' situação

Movimentação no Aeroporto de Fiumicino, nos arredores de Roma
Movimentação no Aeroporto de Fiumicino, nos arredores de Roma (foto: ANSA)
13:35, 14 AgoFLORENÇA ZLR

(ANSA) - O governador da Toscana, uma das regiões mais turísticas da Itália, reclamou nesta sexta-feira (14) das pessoas que escolheram passar férias no exterior em plena pandemia do novo coronavírus.

A declaração chega em meio ao crescimento dos novos casos de Sars-CoV-2 no país, muitos dos quais estão ligados a cidadãos italianos retornando de viagens a outros Estados-membros da União Europeia, como Croácia, Espanha, Grécia e Malta.

"Eu pergunto a essas pessoas se era verdadeiramente necessário passar férias no exterior e se, talvez, não fosse útil, antes de viajar, procurar informações sobre certos países que já sabíamos que corriam maior risco", disse Enrico Rossi, governador da Toscana, região que recebe milhões de turistas todos os anos para conhecer cidades como Florença, Pisa, Siena e Lucca.

"As instituições devem fazer melhor, mas os cidadãos também devem colaborar e entender melhor a situação. É uma questão de educação pessoal e cívica", acrescentou. A Toscana acumula 10.761 casos e 1.137 mortes na pandemia, enquanto a Itália inteira tem 252.809 contágios e 35.234 óbitos. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA