Mais 38 migrantes testam positivo para Covid-19 em Lampedusa

Ilha abriga quase 1,4 mil pessoas em seus centros de acolhimento

Ilha abriga quase 1,4 mil pessoas em seus centros de acolhimento
Ilha abriga quase 1,4 mil pessoas em seus centros de acolhimento (foto: ANSA)
15:10, 21 AgoPALERMO ZCC

(ANSA) - Pelo menos 38 migrantes testaram positivo para o novo coronavírus (Sars-CoV-2) na ilha italiana de Lampedusa, onde cinco novas embarcações desembarcaram em apenas oito horas entre a madrugada e a manhã desta sexta-feira (21).

"Os nossos profissionais de saúde, a quem nunca deixarei de agradecer pelo que estão fazendo, acabam de me informar que foram identificados em Lampedusa 38 novos migrantes positivos para Covid-19", informou o governador da Sicília, Nello Musumeci.

Segundo o político italiano, este episódio faz novamente ele não entender a atitude do governo central que, além de não fechar os portos sicilianos, ainda não se pronunciou sobre o pedido da ilha feito há mais de dois meses para declarar estado de emergência.

"O que nos amarga, em particular, é a indiferença para com uma pequena comunidade que, ao longo dos anos, fez dela motivo de viver o sentimento de acolhimento e de sacrifício", acrescentou.

A declaração é dada no dia em que 276 deslocados internacionais chegaram na Itália pela ilha, que já abriga quase 1,4 mil pessoas em seus centros de registro e acolhimento.

A quantidade de migrantes que chegaram hoje soma-se a outros 250 que desembarcaram em diversos pontos de Lampedusa na quinta-feira (20). A localidade alertou o governo, por diversas vezes, que vive uma situação de emergência.

A maior parte dos estrangeiros, novamente, partiu da Tunísia - que fica a cerca de 100 quilômetros, em linha reta, da ilha italiana. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA