Roma tem 1º caso de estudante com coronavírus em escolas

60 pessoas que tiveram contato com o aluno estão em isolamento

Escolas foram reabertas apenas para aulas de reforço
Escolas foram reabertas apenas para aulas de reforço (foto: ANSA)
15:38, 04 SetROMA ZCC

(ANSA) - A Itália registrou nesta sexta-feira (4) o primeiro caso de infecção pelo novo coronavírus em um dos alunos de uma escola em Roma, três dias depois que as instituições foram reabertas apenas para aulas de reforço escolar.

De acordo com informações preliminares, a criança infectada é um menino que estuda na Marymount International, na área de Cassia.

Após o resultado do teste, a Agência Sanitária Local (ASL) colocou pelo menos 60 pessoas, entre colegas e professores, em isolamento domiciliar por precaução.

As autoridades de saúde irão monitorar a evolução clínica do paciente e aguardarão sete dias para analisar um possível aparecimento de sintomas. Enquanto isso, todos que tiveram contato com o estudante seguirão tendo aulas à distância.

No último dia 1º de setembro, a Itália reabriu todas as escolas do país para iniciar o calendário do ano letivo 2020/21, com uma série de medidas protetivas para evitar a propagação do coronavírus Sars-CoV-2.

No entanto, as aulas presenciais de todos os estudantes serão retomadas apenas no próximo dia 14, e as escolas deverão seguir diversas regras, como alterar as faixas de horário de entrada dos alunos para evitar aglomerações, fazer a higienização constante dos espaços, determinar o uso de máscara obrigatório, realizar testes gratuitos para detectar a Covid-19 nos professores, entre outras.

Hoje, inclusive, a Lombardia submeteu 56.953 professores e funcionários escolares a testes sorológicos. Destes, 2.723 tiveram resultados positivos, o que significa que também já podem ter anticorpos para a doença.

Segundo o governo da região, dos 206.687 educadores cadastrados, 98.470 não se inscreveram para realizar o teste. "Continuaremos com os exames também nas próximas semanas para garantir a cobertura máxima da triagem para os professores", explicou o secretário de Bem-Estar Social da Lombardia, Giulio Gallera, explicando que o prazo foi adiado do dia 7 para 18 de setembro. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA