Veneza define critérios para acionar barreiras contra inundações

Sistema Mose entrará em funcionamento em caráter emergencial

Teste do sistema Mose, em 10 de julho
Teste do sistema Mose, em 10 de julho (foto: ANSA)
13:23, 10 SetVENEZA ZLR

(ANSA) - As autoridades italianas definiram os requisitos para a entrada em funcionamento em caráter emergencial do sistema Mose, rede de barreiras projetada para proteger o centro histórico de Veneza contra inundações.

Segundo a comissária extraordinária do governo para o Mose, Elisabetta Spitz, as comportas serão acionadas sempre que a maré superar 130 centímetros, nível que já é suficiente para alagar as partes mais baixas do centro de Veneza, como a Praça San Marco.

Em um relatório obtido pela ANSA, Spitz explica que a medida será capaz de proteger 55% do território da região contra alagamentos. O Mose passou por testes de funcionamento em julho e agosto, com o acionamento simultâneo de todas as barreiras, que ficam na Bocca di Malamocco, na Bocca di Chioggia e na Bocca di Lido (esta é dividida em duas por uma ilha artificial), os três acessos da Lagoa de Veneza ao Mar Adriático.

Um novo teste está programado para 11 de setembro, mas a obra, iniciada em 2003, está prevista para ser concluída apenas em dezembro de 2021, ao custo de 5,5 bilhões de euros. Até lá, o sistema vai operar em regime emergencial, quando a maré superar os 130 centímetros.

Após a conclusão, o Mose será acionado quando a água subir acima de 110 centímetros.

Alagamentos

O centro da capital do Vêneto se distribui por ilhas situadas na Lagoa de Veneza, que sofre regularmente com a "acqua alta". Mais comum entre o fim do outono e o início do inverno europeu, esse fenômeno ocorre quando o Mar Adriático sobe e invade a área lagunar, inundando a parte mais famosa da cidade.

A solução encontrada para combater o problema é o sistema Mose, acrônimo de Módulo Experimental Eletromecânico e que também remete ao personagem bíblico Moisés (Mosè, em italiano). O projeto foi iniciado em 2003, mas escândalos de corrupção adiaram o fim das obras para dezembro de 2021.

A maior "acqua alta" já registrada na cidade teve 194 centímetros, em 1966, mas, em novembro passado, ocorreram quatro marés superiores a 140 centímetros, algo inédito para um único mês em toda a história de Veneza. A maior delas teve 187 centímetros. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA