Em funeral, Conte condena violência contra jovem negro

Willy Duarte foi espancado até a morte no último fim de semana

Willy Duarte foi espancado até a morte no último fim de semana (foto: ANSA)
10:17, 12 SetROMA ZCC

(ANSA) - O primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, participou na manhã deste sábado (12) do funeral de Willy Monteiro Duarte, jovem negro de 21 anos espancado até a morte ao tentar apartar uma briga, e condenou essa "violência brutal".

"Todos nós acompanhamos essa história de violência brutal. Não podemos minimizar ou subestimar isso. Não podemos rebaixá-lo a um único episódio. Devemos olhar de frente e compreender que existem alguns bolsões sociais que cultivam a mitologia da violência", afirmou o premier italiano, ao final da cerimônia.

O rito fúnebre foi realizado em um campo esportivo em Paliano, cidade onde Duarte residia com sua família. Ele era filho de imigrantes de Cabo Verde, mas nascido em Roma, e foi morto na madrugada entre 5 e 6 de setembro, em Colleferro, nos arredores da capital.

Conte chegou ao local vestindo camisa branca para respeitar o pedido da família. Diversos adolescentes também estavam presentes usando camisetas com a frase "Ciao Willy". Em Cabo Verde, a cor branca também é símbolo de luto quando se refere a um jovem.

"A Itália está contigo, te ama. Agora esperamos sentenças severas e certas", acrescentou o primeiro-ministro à família de Duarte.

Durante a homilia da celebração, o bispo de Tivoli e Palestrina, monsenhor Mauro Parmeggiani, pediu justiça pela morte do jovem.

"Para que a morte bárbara e injusta de Willy não caia no esquecimento, vamos todos nos comprometer, instituições, forças policiais, homens e mulheres da política, escola, esporte e lazer, a Igreja, as famílias e aqueles que detêm as chaves de um enorme poder, o da mídia e em particular da mídia digital, para se comprometerem juntos, para além de qualquer interesse pessoal e sem olhar para outro lado fingindo não ver, religar um pacto educativo a 360 graus", apelou.

O religioso ainda fez uma oração para Deus dar "força para um dia saber perdoar quem conseguiu o irreparável". "Perdoar mas também pedindo que percorra um caminho de reeducação segundo o que a justiça quer e nos lugares, como as prisões, que devem ser sempre mais ambientes de autêntica reabilitação humana".

As ofertas recolhidas durante a missa do funeral de Willy serão doadas , a pedido da família do jovem, à Caritas, organização beneficente da Igreja Católica. Segundo o governador do Lazio, Nicola Zingaretti, a região custeará e apoiará a família com os gastos judiciais, além de rebatizar um hotel com o nome de Willy.

O ex-ministro do Interior da Itália Matteo Salvini também se comoveu com o caso. "Como italiano e pai, peço justiça e oração por Willy, prisão perpétua para os infames assassinos", escreveu em sua conta no Facebook.

Duarte estudava hotelaria e trabalhava como ajudante de cozinha em um hotel em Artena, vizinha a Colleferro. Os resultados preliminares da autópsia apontam que a morte foi causada por "múltiplos traumatismos" entre o tórax, o abdome e o pescoço, que provocaram uma parada cardíaca. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA