Itália tem maior número de mortes por Covid desde 7 de julho

País registrou 24 óbitos neste sábado (19)

Escolas italianas foram reabertas no último dia 14 de setembro
Escolas italianas foram reabertas no último dia 14 de setembro (foto: ANSA)
12:55, 19 SetROMA ZLR

(ANSA) - A Itália registrou neste sábado (19) mais 24 mortes causadas pelo coronavírus Sars-CoV-2, maior número para um único dia desde 7 de julho, quando haviam sido contabilizadas 30 vítimas.

Segundo o Ministério da Saúde, o país soma agora 35.692 óbitos no âmbito da pandemia. No entanto, apesar do crescimento recente, a Itália está distante do pico de 919 mortes em 24 horas registrado em 27 de março.

A média móvel de óbitos em sete dias subiu de 10 na sexta-feira (18) para 13 neste sábado, número 46% maior que há duas semanas.

 

A Itália encerrou a semana de 13 a 19 de setembro com 89 mortes confirmadas, 20 a mais que na anterior. Esse é o maior valor para uma única semana desde o período entre 12 e 18 de julho, com 97.

Contágios

Ainda de acordo com o Ministério da Saúde, foram contabilizados 1.638 novos casos, elevando o total de pessoas já infectadas para 296.569.

Com isso, a Itália chegou à nona semana seguida de crescimento nos novos contágios, com 10.275 diagnósticos positivos entre 13 e 19 de setembro - a semana anterior havia registrado 9.923 casos.

 

A média móvel de infecções em sete dias subiu para 1.468, maior cifra desde 7 de maio, com 1.485 O país também soma 217.716 pacientes curados e 43.161 casos ativos, maior número desde 30 de maio (43.691).

 

Na última sexta-feira, o Ministério da Saúde já havia indicado uma "lenta e progressiva piora" da pandemia do Sars-CoV-2 na Itália, com "transmissão disseminada do vírus em todo o território nacional". (ANSA)

 

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA