Itália terá primeiras doses de vacina de Oxford até dezembro

Chanceler italiano, Luigi Di Maio, ainda descartou novo lockdown

Chanceler italiano, Luigi Di Maio, ainda descartou novo lockdown (foto: ANSA)
12:55, 11 OutROMA ZCC

(ANSA) - O ministro das Relações Exteriores da Itália, Luigi Di Maio, anunciou neste domingo (11) que o país europeu terá as primeiras doses de vacina contra o novo coronavírus (Sars-CoV-2) até o final do ano, graças à parceria com a Universidade de Oxford.

"Na emergência não estou dizendo que somos o último melhor. Nós, graças ao acordo com a Universidade de Oxford, teremos as primeiras doses da vacina até o final do ano", explicou o chanceler italiano em um programa na RaiTre.

Durante a entrevista, Di Maio ressaltou que, em fevereiro, o país não estava absolutamente preparado, não tinha nada, nem mesmo como cadeia produtiva. "Agora temos um país que pode ter disfunções, mas se equipou e mostrou que pode lidar com a emergência".

Por fim, o ministro italiano enfatizou que o país "não deve ser muito duro consigo mesmo. A terapia intensiva está equipada". A "Itália não pode permitir um novo bloqueio, o sistema econômico e comercial não pode permitir", concluiu. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA