Conte e Greta Thunberg debatem ações contra crise climática

Premiê participou de videoconferência com ativistas pelo clima

Premiê participou de videoconferência com ativistas pelo clima
Premiê participou de videoconferência com ativistas pelo clima (foto: EPA)
20:12, 19 OutROMA ZCC

(ANSA) - O primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, e um grupo de ativistas ambientais, incluindo a sueca Greta Thunberg, debateram nesta segunda-feira (19), durante videoconferência, medidas para combater a crise climática.

Em uma publicação no Twitter, o premiê disse ter ficado feliz com o encontro e afirmou que a Itália está na "vanguarda" de uma agenda de mudança a favor da causa.

"Estou feliz pela troca com Greta Thunberg e os ativistas que dão voz a tantos jovens no mundo. Discutimos como enfrentar a crise climática por meio de ações concretas, a nível nacional, europeu e global", escreveu Conte.

Além do político italiano e da jovem sueca, participaram da videoconferência outros ativistas do movimento Fridays For Future (Sextas-feiras pelo Futuro), como as italianas Laura Vallaro e Martina Comparelli, a belga Adélaide Charlier e a alemã Luisa Neubauer, e o ministro do Meio Ambiente da Itália, Sergio Costa.

Segundo Comparelli, o país europeu "assinou o acordo de Paris, mas está retrocedendo na ação climática. Por isso, não há meio-termo, é preciso "eliminar a infraestrutura de gás e as campanhas de lavagem verde para cumprir os objetivos de Paris". "É uma questão de escolher entre o nosso futuro e os oleodutos. Como é possível colocar os fósseis antes das pessoas?", questionou.

Vallaro, por sua vez, ressaltou que "as pessoas já estão perdendo seus empregos, adoecendo e morrendo por causa da crise climática".

"A pandemia nos mostrou o quão frágil é o atual sistema econômico e político e acreditam que podem sobreviver como civilização em um planeta mais quente do que 3 ou 4 graus - que é a direção que estamos indo - é simplesmente absurdo", acrescentou a italiana.

De acordo com Vallaro, "o tempo de evitar o colapso do clima está se esgotando. Mas desistir é condenar a nós mesmos e às gerações a um futuro caótico, e nós não devemos aceitá-lo. Devemos enfrentar a realidade e tratar a crise climática como uma crise".

Após a reunião, Comparelli ainda disse à imprensa italiana que a conversa com os líderes italianos durou por muito tempo, mas sentiu que não ouviu nada sobre a luta das adolescentes. Greta Thunberg não conseguiu participar da coletiva. 

A Itália, terceira maior economia da UE, presidirá o G20 de 2021 e assumirá, em parceria com o Reino Unido, a presidência da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP26).
(ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA