Lombardia quer decretar toque de recolher a partir de 22/10

Proposta foi enviada para Ministério da Saúde da Itália dar aval

Proposta foi enviada para Ministério da Saúde da Itália dar aval
Proposta foi enviada para Ministério da Saúde da Itália dar aval (foto: ANSA)
18:21, 19 OutMILAO ZCC

(ANSA) - O governador da Lombardia, Attilio Fontana, pediu nesta segunda-feira (19) aval do Ministério da Saúde da Itália para decretar um toque de recolher em toda a região das 23h às 5h (horário local), a partir do próximo dia 22 de outubro, na tentativa de conter o avanço do novo coronavírus (Sars-CoV-2).

A proposta foi definida durante conselho entre o governadores e os representantes das capitais da Lombardia, o presidente da Associação Nacional das Prefeituras Italianas (Anci), Mauro Guerra, e os dirigentes majoritários e de oposição, com base nos dados do Comitê Técnico-Científico (CTS).

As autoridades defendem um bloqueio em todas as atividades e viagens, com exceção dos casos "excepcionais", como motivos de saúde, trabalho e necessidade comprovada, em toda o território lombardo.

Além disso, o governador da Lombardia e os prefeitos das cidades discutiram a possibilidade de encerrar, aos sábados e domingos, o funcionamento de centros comerciais não alimentares, de médio e grande porte.

"Concordo com a hipótese de medidas mais restritivas na Lombardia. Ouvi do governador [Attilio] Fontana e do prefeito [Giuseppe] Sala e vamos trabalhar juntos a este respeito nas próximas "horas", declarou à ANSA o ministro da Saúde da Itália, Roberto Speranza.

A Lombardia é o epicentro de Covid-19 na Itália. Nas últimas 24 horas, a região registrou 1.687 novos casos da doença, elevando o número total para 128.456, com 24.634 casos ativos.

Recentemente, a Comissão de Indicadores, criada pela direção geral da secretaria de Bem Estar Social, previu que, em 31 de outubro, a Lombardia poderia ter cerca de 600 pacientes hospitalizados em terapia intensiva e até 4 mil em acompanhamento médico. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA