Deputados italianos fazem greve de fome contra ações anti-Covid

Os três parlamentares são donos de restaurantes

Salvatore Caiata, deputado do partido de extrema direita Irmãos da Itália
Salvatore Caiata, deputado do partido de extrema direita Irmãos da Itália (foto: ANSA)
11:05, 26 OutROMA ZLR

(ANSA) - Três deputados de extrema direita iniciaram uma greve de fome nesta segunda-feira (26) para protestar contra o decreto do primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, que fecha bares e restaurantes às 18h.

Paolo Trancassini, Riccardo Zucconi e Salvatore Caiata pertencem ao partido ultranacionalista Irmãos da Itália (FdI) e são donos de restaurantes. "Decidimos começar uma greve de fome. Estamos simplesmente antecipando aquilo que acontecerá com nossos colegas e pedimos para Conte vir ao Parlamento explicar", disse Caiata.

Segundo o deputado, o novo decreto do premiê "fuzila um setor que já está em extrema dificuldade". "Começamos uma greve de fome porque é a fome o que esse decreto vai provocar", acrescentou.

A redução do horário de funcionamento de bares e restaurantes é a principal medida restritiva do novo decreto de Conte, que entrou em vigor nesta segunda-feira e também fecha academias, piscinas, cinemas, teatros e casas de shows, além de obrigar que escolas de ensino médio tenham pelo menos 75% de aulas a distância.

O governo tomou essas providências para conter a segunda onda da pandemia do novo coronavírus na Itália, que vem registrando recordes consecutivos no número diário de casos, enquanto as mortes - 128 no último domingo - voltaram ao patamar do fim de maio.

Até o momento, o país contabiliza 525.782 contágios e 37.338 óbitos causados pelo Sars-CoV-2. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA