Agência de remédios da Itália prevê vacina para janeiro de 2021

Declaração foi dada por diretor-geral da Aifa nesta quarta-feira

Declaração foi dada por diretor-geral da Aifa nesta quarta-feira
Declaração foi dada por diretor-geral da Aifa nesta quarta-feira (foto: ANSA)
19:11, 28 OutROMA ZCC

(ANSA) - O diretor-geral da Agência Italiana de Medicamentos (Aifa), Nicola Magrini, disse nesta quarta-feira (28) que a vacina contra o novo coronavírus (Sars-CoV-2) pode estar disponível para vacinar pessoas do grupo de risco apenas entre janeiro e fevereiro.

"Enquanto agência reguladora europeia estamos à espera de dados clínicos. Se chegarem no final de novembro, é necessária uma observação cuidadosa. Estamos em ótimas condições, mas também de avaliação séria", explicou o italiano ao programa 24Mattino.

Segundo Magrini, existem seis vacinas em desenvolvimento, sendo que os dados de ensaios clínicos de pelo menos três medicamentos serão disponibilizados entre o final do ano e o início de 2021.

Já as informações sobre as outras três ficarão disponíveis no primeiro semestre do próximo ano, uma situação em rápida evolução que não pode pular as etapas naturais de avaliação. "Ainda temos muitas dúvidas sobre sua eficácia", revelou.

O diretor da agência de medicamentos ainda informou que a Itália está realizando um estudo randomizado que avança rapidamente, um tratamento com plasma autoimune.

"Precisamos chegar a mil pacientes para entender se essa terapia pode dar uma contribuição na faixa intermediária de pacientes não muito graves. Esperamos destes e dos anticorpos monoclonais, que são um realce desta terapia, um possível efeito positivo", acrescentou Magrini.

Por fim, ele explicou que os estudos sobre a hidroxicloroquina sempre confirmaram o efeito nulo e possíveis reações colaterais cardíacas. "os dados para a cloroquina são decepcionantes e atualmente não é uma opção terapêutica", finalizou. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA