Com 580 óbitos, Itália tem maior nº de mortes desde abril

Foram ainda 35.098 novos contágios em 24 horas

Foram 122 internações em UTIs em 24 horas em toda a Itália
Foram 122 internações em UTIs em 24 horas em toda a Itália (foto: ANSA)
07:53, 11 NovROMA ZGT

(ANSA) - A Itália registrou 580 óbitos em decorrência do coronavírus Sars-CoV-2 nas últimas 24 horas, informou o Ministério da Saúde nesta terça-feira (10), elevando as mortes para 42.330 desde fevereiro. O número é o mais alto registrado no país desde 14 de abril, quando 602 mortes foram contabilizadas.

Conforme o boletim, o país ainda teve 35.098 novos contágios no período, se aproximando da marca de um milhão de casos desde o início da crise sanitária de Covid-19. Ao todo, são 995.463 contaminações computados desde fevereiro pelo Ministério.

 

 

O aumento de casos ativos - que desconsideram curas e mortes - foi de 2,9% na comparação com a segunda-feira (9) e somaram 16.776 em um dia. Com isso, são 590.110 pessoas que lutam contra a doença neste momento no país.

Nesta terça, o que chamou bastante a atenção foi o aumento de internações em unidades de terapia intensiva (UTIs): foram 122 em apenas 24 horas, totalizando 2.971 pessoas internadas em unidades do tipo em todo o país. A maioria delas está internada na região da Lombardia (708), seguida por Piemonte (325), Lazio (257), Toscana (242) e Emilia-Romagna (215).

Além dos internados em UTIs, há 28.633 pacientes hospitalizados em outros departamentos médicos e ainda 558.506 em isolamento domiciliar.

 

 

O número de pacientes considerados curados também bateu recorde desde o início da pandemia de Sars-CoV-2, com uma alta de 17.734, elevando para 363.023 o número total desde fevereiro.

Para tentar conter o avanço da segunda onda de casos, o governo da Itália dividiu as regiões em quatro faixas de classificação - verde, amarelo, laranja e vermelho - sendo que a última é um lockdown. (ANSA).
   

 

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA