Governo da Itália estenderá lockdown para mais 2 regiões

Campânia e Toscana também vão virar 'áreas vermelhas'

Crianças têm aula em praça do centro de Nápoles, capital da Campânia
Crianças têm aula em praça do centro de Nápoles, capital da Campânia (foto: ANSA)
14:07, 13 NovROMA ZLR

(ANSA) - O ministro da Saúde da Itália, Roberto Speranza, assinou nesta sexta-feira (13) uma medida que estende o lockdown para mais duas regiões do país: Campânia e Toscana, onde ficam Nápoles e Florença, respectivamente.

Com isso, a Itália terá a partir de 15 de novembro seis regiões (de um total de 20) consideradas como "áreas vermelhas", englobando cerca de 26,5 milhões de habitantes, o equivalente a 44% da população nacional. As outras quatro que já estão nesse regime são Calábria, Lombardia, Piemonte e Vale de Aosta.

O protocolo para as chamadas zonas vermelhas prevê regras semelhantes às do lockdown vigente entre março e maio, como fechamento de restaurantes e do comércio não essencial e proibição de sair de casa a não ser por motivos de saúde, trabalho ou urgência.

A diferença para a primeira quarentena é que, desta vez, as indústrias continuam abertas, e restaurantes podem manter serviços de comida para retirada.

A inclusão da Campânia nas zonas vermelhas era cobrada por autoridades sanitárias e políticas desde a entrada em vigor da escala de risco do Ministério da Saúde, há uma semana. O próprio governador Vincenzo de Luca, de centro-esquerda, pedia medidas mais drásticas para a região.

Relativamente poupada no começo da pandemia, a Campânia já é a terceira região com mais casos do Sars-CoV-2 em termos absolutos, com 104.065, atrás apenas da Lombardia (304.591), epicentro da crise na Itália, e do vizinho Piemonte (117.312).

Zona laranja

Além da inclusão da Campânia e da Toscana na zona vermelha, o ministro Speranza mudou de "amarelo" para "laranja" o status de três regiões: Emilia-Romagna, Friuli Veneza Giulia e Marcas, que se juntam a Abruzzo, Basilicata, Ligúria, Puglia, Sicília e Úmbria.

Nessas áreas, estão proibidos deslocamentos interregionais e intermunicipais, mas os cidadãos podem circular livremente dentro de seus municípios de residência. Restaurantes foram fechados, a não ser para serviços de retirada e delivery.

Apenas Lazio (onde fica a capital Roma), Molise, Sardenha, Vêneto e Trentino-Alto Ádige são considerados zonas amarelas, onde estão em vigor somente regras de alcance nacional, como o toque de recolher entre 22h e 5h.

As áreas de risco são definidas com base nos índices de transmissão do Sars-CoV-2 e em parâmetros como número de internações, ocupação de leitos de UTI e percentual de casos positivos nos exames efetuados.

Para progredir de área vermelha para laranja, por exemplo, a região precisa ter pelo menos 14 dias de estabilidade nos dados da pandemia. A Itália bateu novo recorde de casos diários do novo coronavírus nesta sexta-feira, com 40.902, elevando o total de contágios para 1.107.303.

Também foram registradas mais 550 mortes, fazendo o número de vítimas subir para 44.139. (ANSA) 

 

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA