Itália tem 37 mil novos casos de Covid, mas curva desacelera

Com fechamento de escolas de ensino médio, estudantes fazem aula em rua do centro de Roma para protestar
Com fechamento de escolas de ensino médio, estudantes fazem aula em rua do centro de Roma para protestar (foto: ANSA)
14:09, 14 NovSÃO PAULO ZLR

(ANSA) - A Itália registrou neste sábado (14) mais 37.255 casos e 544 mortes na pandemia do coronavírus Sars-CoV-2, mas começa a apresentar sinais de estabilização na curva epidemiológica.

O boletim atualizado do Ministério da Saúde tem números menores que os da última sexta-feira (40.902 contágios e 550 óbitos), embora sábado costume apresentar as maiores cifras diárias da semana.

A média móvel de casos em sete dias passou de 34.948 na sexta-feira para 34.583 neste sábado, na primeira queda no índice desde 17 de setembro. "Existe uma desaceleração que, obviamente, precisa se manter", afirmou neste sábado o presidente do Conselho Superior da Saúde, Franco Locatelli.

 

Já a média móvel de óbitos subiu para 517, maior cifra desde 20 de abril (521). Agora a Itália soma 1.144.552 casos confirmados do Sars-CoV-2, 44.683 mortes, 411.434 curados e 688.435 contágios ativos, número recorde e equivalente a mais de 1% da população nacional.

O total de pacientes em UTIs subiu para 3.306, maior valor desde 12 de abril (3.343).

 

Para conter a pandemia, quatro regiões da Itália já estão em lockdown (Calábria, Lombardia, Piemonte e Vale de Aosta) e outras duas entrarão neste domingo (Campânia e Toscana), englobando 44% da população nacional.

Também está em vigor um toque de recolher das 22h às 5h em todo o território italiano. (ANSA) 

 

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA