Presidente da Itália pede colaboração para combater Covid

Mattarella fez apelo por união e disse que o vírus causa divisão

Presidente fez discurso virtual na assembleia da Anci
Presidente fez discurso virtual na assembleia da Anci (foto: ANSA)
16:56, 17 NovROMA ZCC

(ANSA) - O presidente da Itália, Sergio Mattarella, fez um apelo nesta terça-feira (17) e pediu a colaboração de todos os cidadãos para respeitarem as medidas restritivas impostas para combater a segunda onda do novo coronavírus (Sars-CoV-2).

Durante discurso virtual na assembleia da Associação Nacional de Municípios (Anci), o chefe de Estado italiano ressaltou que ninguém está imune e o risco de contágio ainda é alto em todo o mundo.

Mattarella afirmou que é necessário "usar o senso de responsabilidade" para "criar convergência e colaboração entre as forças" que o país dispõe para "trabalhar na mesma direção".

"Esse vírus ainda é parcialmente desconhecido, mas, entre outros aspectos, percebemos que tende a nos dividir", alertou.

Segundo o presidente italiano, as divisões são múltiplas: "entre faixas etárias mais ou menos expostas aos riscos mais graves, entre categorias sociais mais ou menos afetadas pelas consequências econômicas, entre as mesmas instituições chamadas a fazer as escolhas necessárias - por vezes impopulares - para reduzir o contágio e garantir a assistência necessária aos necessitados".

Para ele, "o pluralismo e a articulação das instituições republicanas são e devem ser multiplicadores de energias positivas, mas esta desaparece se, na emergência, a gente se divide".

Mattarella ainda aproveitou seu pronunciamento para pedir que "todos tenham consciência da gravidade do perigo de contágio, que atinge toda a humanidade, em todo o lado, colocando em dificuldade e bloqueando a normalidade de vida na maioria dos países de todos os continentes".

O líder do país europeu apelou para os italianos continuarem seguindo as medidas preventivas com "responsabilidade pessoal", como o uso de máscaras de proteção, a higiene, o distanciamento social, além de evitarem festas e aglomerações.

Por fim, Mattarella enfatizou que "as modalidades desta assembleia são também um sinal das dificuldades que enfrentamos, mas ao mesmo tempo expressam a vontade comum de avançar, de combater a epidemia, de consolidar as redes de solidariedade mútua, de lançar as bases para reinício do nosso país".

Já o presidente da Anci, Antonio Decaro, fez um apelo para ninguém "esquecer que o único inimigo é o vírus". "Não vamos esquecer que os cidadãos podem derrotá-lo ficando longe, mas para nós, instituições, a única possibilidade de derrotá-lo é permanecer unidos. Sem distinções políticas, ideológicas, territoriais", disse. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA