Itália suspende criação de visons por pandemia de Covid-19

Atividade está proibida até, pelo menos, fevereiro de 2021

Itália proibiu criação de visons por conta do risco de mutação do vírus que causa a Covid-19
Itália proibiu criação de visons por conta do risco de mutação do vírus que causa a Covid-19 (foto: Reprodução/Twitter)
07:35, 23 NovROMA ZGT

(ANSA) - O ministro da Saúde da Itália, Roberto Speranza, firmou uma ordem suspendendo a criação de visons por todo o território italiano até fevereiro de 2021, quando será feita uma nova avaliação da situação epidemiológica, informou a pasta nesta segunda-feira (23).

"A medida coloca a infecção da Sars-CoV-2 nos visons de criação no elenco das doenças infecciosas e difusas nos animais sujeitas ao provimento sanitário segundo o Regulamento da Polícia Veterinária", diz o comunicado.

O Ministério destaca que, mesmo que o número de locais de criação na Itália "seja muito reduzido em relação a outros países europeus, observou-se a necessidade de seguir o princípio da máxima precaução". O texto ainda ressalta que, no caso de alguma contaminação suspeita, "as autoridades locais podem fazer o sequestro da criação e o bloqueio da movimentação dos animais". Se confirmado o caso, há a autorização para o abatimento dos visons.

O pequeno animal virou o centro das atenções na Europa nas últimas semanas após a Dinamarca detectar cinco mutações do vírus que causa a Covid-19 em criações em seu território.

A mais problemática delas, chamada de Cluster 5, segundo cientistas dinamarqueses, conseguia enfraquecer a capacidade do organismo de responder à doença. O temor era que essa variação se espalhasse e comprometesse a efetividade de vacinas ou tratamentos futuros. Na Dinamarca, cerca de 15 milhões de visons - criados para produção de casacos de pele e demais itens de vestuário - estão sendo abatidos. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA

archivado en