Itália prevê 202 milhões de doses de vacina no 1º tri de 2021

Plano de Imunização do país europeu já está pronto

Plano de Imunização do país europeu já está pronto
Plano de Imunização do país europeu já está pronto (foto: ANSA)
18:06, 01 DezROMA ZCC

(ANSA) - O plano de imunização contra o novo coronavírus Sars-CoV-2 desenvolvido pelo ministro da Saúde da Itália, Roberto Speranza, prevê que 202 milhões de doses da futura vacina estarão disponíveis a partir do primeiro trimestre de 2021.

A informação foi revelada nesta terça-feira (1º) por fontes oficiais após Speranza ilustrar o planejamento para as autoridades italianas durante reunião no Palazzo Chigi, juntamente com o primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte.

"202 milhões de doses de vacina contra a Covid-19 estão disponíveis a partir do primeiro trimestre de 2021. Cada dose, de acordo com o conhecimento atual, precisa de reforço e não sabemos quanto imunizante existe", afirmou a fonte.

A Itália terá acesso às vacinas contra o Sars-CoV-2 por meio da União Europeia (UE), que já fechou contratos relativos a seis vacinas. São elas: AstraZeneca (fabricante da vacina de Oxford), Sanofi-GSK, Johnson & Johnson (dona da Janssen), Biontech-Pfizer, Curevac e Moderna.

A expectativa, ainda segundo fontes oficiais, a vacina anti-Covid da Pfizer será disponibilizada "entre 23 e 26 de janeiro" e as doses "irão para os 300 pontos identificados, que são diretamente os hospitais".

Primeiramente, o imunizante será destinado aos profissionais de saúde, como médicos e enfermeiros, e da residência sanitária assistencial (Rsa). Em relação à faixa etária, a vacinação começará com os maiores de 80 anos, depois os de 60 e 70 anos e gradativamente os demais grupos, como trabalhadores essenciais, inclusive escolar.

Com base nos dados preliminares, o Ministério da Saúde da Itália pretende implantar a rede de monitoramento de vacinação com sistema de informação dedicado, conectado a sistemas regionais.

De acordo com o projeto, a vacinação em massa contra o novo coronavírus será realizada em grandes espaços públicos, como ginásios, áreas abertas e feiras.

Mais cedo, o coordenador das ações do governo italiano contra a pandemia, Domenico Arcuri, já havia informado que o plano executivo de vacinação está pronto, mas entrará em operação quando as vacinas tiverem as autorizações de comercialização. A previsão é que as autorizações cheguem até o final de janeiro.

Segundo o especialista italiano, todas as vacinas que terão de ser armazenadas a -75 graus, como é o caso da Pfizer, serão levadas para 300 pontos de distribuição. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA