Quase 5 milhões de alunos voltam às aulas na Itália

Data de reabertura das escolas foi tema de polêmica

Data de reabertura das escolas foi tema de polêmica
Data de reabertura das escolas foi tema de polêmica (foto: ANSA)
16:20, 07 JanROMA ZCC

(ANSA) - Após diversas polêmicas entre as autoridades regionais e o governo italiano, pelo menos 5 milhões de estudantes - de creches e do ensino fundamental - voltaram às aulas presenciais nesta quinta-feira (7) em toda a Itália.

A data de reabertura das escolas foi tema de discussão acalorada no país nos últimos dias. O governo do primeiro-ministro Giuseppe Conte havia determinado o dia 7 de janeiro para a retomada, mas diversas regiões não acataram a medida por considerar que não há segurança para alunos e funcionários.

Com isso, a data estipulada ficou para 11 de janeiro, com o retorno dos alunos do ensino médio, mas não agradou todos. Por isso, vários governadores anunciaram planos diferentes: enquanto alguns optaram por esta quinta, outros querem iniciar no dia 15 e alguns só vão retornar em 31 de janeiro.

O acordo do governo, porém, prevê que as instituições reabram com uma redução de 50% no contingente de estudantes. Os colégios "superiores" já estão realizando aulas 100% a distância desde o início de novembro, por conta da propagação do novo coronavírus Sars-CoV-2.

A expectativa é de que as escolas das regiões de Vale de Aosta, Lombardia, Ligúria, Emilia-Romagna, Toscana, Lazio, Úmbria, Abruzzo e Basilicata voltem a funcionar na próxima segunda-feira.

As aulas retornam depois de os estudantes ficarem dois meses fora das escolas em meio aos confinamentos regionais e nacionais. No entanto, diversos protestos foram registrados contra a decisão do governo em cidades como Roma, Florença, Bolonha, Milão e Nápoles. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA