Região italiana para campanha de vacinação por exaurir doses

Até fim do domingo, Campânia usará todas as ampolas que recebeu

Campânia vai parar vacinação neste domingo por falta de doses
Campânia vai parar vacinação neste domingo por falta de doses (foto: ANSA)
10:21, 10 JanNÁPOLES ZGT

(ANSA) - A região da Campânia, localizada no sul da Itália, informou que vai paralisar a campanha de vacinação contra a Covid-19 neste domingo (10) porque já utilizou todas as doses recebidas do governo nacional.

"No dia de ontem, a Campânia atingiu, com seus 90% [de aplicação], o percentual mais alto da Itália na aplicação das vacinas. Hoje, todos os centros sanitários acabarão com as doses entregues à nossa região e, essa noite, os centros pararão por falta de vacinas. E isso é o resultado de uma distribuição feita de maneira desigual nesses últimos dias", criticou o governador regional, Vincenzo De Luca.

Segundo o político, a falta de vacinas já havia sido comunicada ao comissário extraordinário da Emergência de Covid-19, Domenico Arcuri, e havia sido solicitado o envio imediato de novas doses.

"Mas, terça-feira deverão chegar os novos fornecimentos, e é necessário que isso aconteça, reequilibrando as nossas quantidades. Assim como é necessário e urgente o envio de funcionários adicionais para a vacinação, para enfrentar a situação de forte falta de pessoal. Porém, quero agradecer a todas as nossas estruturas sanitárias pelos resultados extraordinários conseguidos mesmo com a falta de pessoal", destacou o governador.

Segundo dados do portal sobre a imunização contra o coronavírus Sars-CoV-2 mantido pela Agência Italiana de Medicamentos (Aifa), atualizado pela última vez às 11h (7h no horário de Brasília), a Campânia usou 89,5% das 67.020 doses recebidas até o momento, sendo a região que mais vacinou proporcionalmente. Outras três regiões estão na faixa dos 80% neste domingo: Vêneto (aplicou 81,8% das 77.900 doses recebidas), Toscana (79,9% das 52.295) e Úmbria (79,6% das 9.835 doses).

Atualmente, a Itália usa apenas a vacina BNT 162b, desenvolvida pela Pfizer e pela BioNTech, e recebeu 908.700 doses do imunizante até o momento, segundo a Aifa. Outras 470 mil doses devem chegar nesta segunda-feira (11).

A partir dessa semana também começam a chegar no país as primeiras doses da segunda vacina aprovada para uso emergencial, a mRNA-1273 da Moderna. Conforme fontes ouvidas pela ANSA, serão 746 mil doses até o fim de fevereiro.

No dia 11 de janeiro, devem chegar 47 mil; na semana de 25 de janeiro, outras 66 mil; em 8 de fevereiro, mais 163 mil; e em 22 de fevereiro, mais 488 mil doses.

Dados do Comissariado Extraordinário apontam que havia a recomendação para que as regiões guardassem cerca de 30% de suas doses para iniciar a aplicação da segunda dose do imunizante BNT 162b. No entanto, a maior parte delas seguiu o que o Reino Unido está fazendo e focou em dar a primeira dose para o maior número de pessoas possível.

Ainda de acordo com o site da Aifa, 478.539 trabalhadores da área da saúde foram imunizados até agora, 72.422 pessoas que não trabalham na área da saúde e 38.837 moradores de asilos e de centros de cuidados médicos de idosos.

Dos 589.798 vacinados até o momento, 166.211 têm entre 50-59 anos, 126.900 têm de 40-49 anos e 98.940 têm entre 30-39 anos.

Entre os idosos, a maior faixa de imunizados está entre os de 60-69 anos (94.171),seguido pela de 80-89 anos (16.132), de 70-79 anos (12.948) e acima dos 90 nos (12.408).

Nessa primeira fase, estão sendo vacinados profissionais de saúde e idosos. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA