Com recusa de médicos, província italiana vai vacinar idosos

Apenas 50% dos trabalhadores da saúde de Bolzano quiseram ser imunizados

Chegada de vacinas em Bolzano, em 27 de dezembro
Chegada de vacinas em Bolzano, em 27 de dezembro (foto: ANSA)
15:15, 12 JanBOLZANO ZLR

(ANSA) - A província mais setentrional da Itália vai antecipar o início da vacinação de idosos acima de 80 anos contra o novo coronavírus devido ao grande número de trabalhadores da saúde que não quiseram ser imunizados.

Situada na fronteira com a Áustria, a província autônoma de Bolzano utilizou apenas 31,8% das doses disponibilizadas pelo governo italiano, número mais baixo em todo o país.

Para efeito de comparação, a região da Campânia, no sul, chegou a esgotar as vacinas disponíveis e agora, após receber um novo carregamento, apresenta um índice de 97,6%.

Segundo o Ministério da Saúde, apenas 50,2% dos trabalhadores sanitários de Bolzano se vacinaram contra o novo coronavírus, o que fez o governo provincial decidir pela antecipação da imunização de idosos acima de 80 anos.

De acordo com o secretário de Saúde da província, Thomas Widmann, o objetivo é utilizar 60% das doses disponíveis até o fim desta semana. A campanha de vacinação na Itália começou em 27 de dezembro, mas essa primeira etapa é exclusiva para trabalhadores da saúde e hóspedes de asilos.

Até o momento, 731.539 pessoas já receberam a primeira dose do imunizante da Biontech/Pfizer em todo o país, mas a campanha deve acelerar nos próximos dias com a chegada dos lotes da vacina da Moderna.

A vacinação não é obrigatória na Itália, que contabiliza 2,3 milhões de casos e quase 80 mil mortes na pandemia. (ANSA) 

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA