Com gastronomia, Brasil celebra 'Dia do Imigrante Italiano'

Evento inédito ocorre neste domingo (19) no Museu da Imigração

Imigrantes italianos na Hospedaria do Imigrante em 1890 (foto: Wikimedia Commons)
17:22, 20 FevSÃO PAULO Amanda Sampaio

(ANSA) - Em fevereiro de 1874 chegava ao Brasil o navio La Sofia com a primeira expedição de imigrantes italianos. A travessia pelo Oceano Atlântico não mudou somente a vida daqueles passageiros, mas sim de uma nação inteira que ainda estava se formando, o Brasil. Em homagem ao primeiro navio de italianos atracado aqui, desde 2008 é comemorado em todo 21 de fevereiro o"Dia Nacional do Imigrante Italiano" no Brasil.

Neste ano, as festas de celebração começarão cedo, no domingo (19), com uma série de eventos em São Paulo, cidade que reúne uma das maiores comunidades de descendentes de italianos no mundo.

No Museu da Imigração, na Mooca, que costumava servir de hospedaria aos imigrantes, haverá o primeiro festival "Viva Italia", com apresentações de artistas italianos, mesas de debate, aulas de idioma, exibição de filmes, oficinas de culinária e barraquinhas de comida italiana, com pratos e drinks preparados pelos restaurantes Nino Cucina, Friccò, Peppino Bar, Rolando Massinha, Cannoleria Brasil, entre outros.

Pizza, focaccia, pasta, panini, gelato, cannoli, tarallo, amaretto, antepasto e café serão vendidos ao público, exaltando suas receitas originais, já que é justamente a gastronomia italiana um dos maiores legados ao Brasil.

"Se perguntarmos aos brasileiros quais são seus 10 pratos preferidos, pelo menos cinco serão pratos italianos ou de origem italiana", disse à ANSA Gerardo Landulfo, que é delegado da Accademia Italiana della Cucina e membro da Delegazione di San Paolo.

Já Silvana Azevedo, jornalista especializada em gastronomia e na formação da cozinha italiana, ressaltou que as tradições italianas no Brasil se mantêm, porém sofreram algumas transformações. "Na fase da chegada dos imigrantes, não havia o tipo de arroz que eles usavam para fazer risoto, muito menos o grano duro.

Eles se viam perdidos e tinham que se virar, então foram fazendo adaptações às receitas com os ingredientes que encontravam por aqui", disse. "O queijo gorgonzola, por exemplo, era frequentemente jogado ao mar, pois as pessoas daqui achavam que estava estragado", explicou.

O restaurante "Hospedaria", inaugurado há quatro meses em São Paulo, tem a proposta de servir justamente os pratos que os imigrantes costumavam comer quando chegaram ao Brasil. Segundo o sócio e chefe de cozinha do espaço, Fellipe Zanuto, o restaurante é localizado na Mooca, um dos bairros italianos mais tradicionais da capital paulista e que tem "uma história muito forte ligada" aos imigrantes.

Foi desse ponto que surgiu, de acordo com o neto de imigrantes italianos, o conceito de criar um local que pudesse mostrar uma história que fosse "a cara de São Paulo", com um ambiente, pós-industrial, e, principalmente, com uma comida típica, que representassem a maior cidade do Brasil.

As opções da "Hospedaria" são variadas, como o arroz de forno, o frango à passarinho, a linguiça artesanal e os drinks que misturam bebidas italianas (Campari, Amaro e Grapa) com a boa e velha cachaça brasleira. No entanto, segundo Zanuto, também dono da "A Pizza da Mooca", os pratos mais amados do restaurante são o "risoto, o [pappardelle] bolognesa, a carne de porco e o [couvert de] pão com molho". (ANSA)

 

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA