'Turismo de cinema' gera mais de 260 mi de euros para Itália

Visitar cidades representadas nas telonas está virando moda

Tom Hanks promovendo o filme 'Inferno' em Florença
Tom Hanks promovendo o filme 'Inferno' em Florença (foto: ANSA)
15:46, 06 NovROMA ZGT

(ANSA) - A paixão em visitar os lugares que "fazem sonhar" nas telas de cinema está se tornando cada vez mais comum na Itália e se torna um negócio com dimensões milionárias.

"As produções estrangeiras representam um segmento excepcional para mostrar as belezas da Itália. O 'cineturismo' no país gera, para as cidades onde se realizam as filmagens, um benefício econômico equivalente a 261,7 milhões de euros", diz Massimo Feruzzi, responsável pelo estudo publicado pela empresa JFC.

Os sítios mais visitados pelos turistas são os mais variados: desde as cidades de Piemonte, como Alba, Mango e Santo Stefano Belbo, vistas no filme "Uma questão pessoal", de Paolo Traviani, aos clássicos pontos turísticos de Roma.

De acordo com o estudo, dos quase 262 milhões de euros gerados, "a maior parte, cerca de 198 milhões de euros, são deixados pela produção durante as gravações" e o valor deixado por turistas nacionais e/ou internacionais fica na casa dos 63,8 milhões de euros. Também a televisão faz sua parte.

Basta pensar na Úmbria de Don Matteo e, obviamente, da Vigata di Montalbano, lugar imaginário, mas fortemente desejado por visitantes. Uma rápida visita no Google mostra mais de 100 mil resultados na busca pela cidade que não existe na vida real.

Toscana lidera

Entre os destinos italianos que mais abrigam gravações, os chamados "film friendly", está a Toscana, que conta com 14,5% das preferências. Em seguida vem a Púglia (9,2%), a região de Trentino-Alto Ádige (6,9%), Sicília (6,5%), Piemont (6,1%), Vêneto (5,6%), Lombardia (5,3%) e Friúli-Veneza Giulia (5,2%). (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA