Itália premia mulher pioneira em vinhos sicilianos

Gabriella Anca Rallo fundou a vinícola "Donnafugata" em 1983

Itália premia mulher pioneira em vinhos sicilianos
Itália premia mulher pioneira em vinhos sicilianos (foto: Donnafugata)
21:41, 12 MarAGRIGENTO ZLR

(ANSA) - Com o objetivo de valorizar as mulheres responsáveis pela produção de vinhos, a Itália criou o prêmio "Donne & Vino 2018" ("Mulheres e Vinho", em tradução livre).

A ganhadora desta edição é Gabriella Anca Rallo, cofundadora da vinícola "Donnafugata", criada em 1983 e pioneira na Sicília.

"O prêmio visa valorizar as mulheres que se dedicam à fabricação de vinhos de qualidade. É um reconhecimento que tem como objetivo contar a experiência do vinho às outras mulheres", explicou Gunther di Giovanna, presidente da associação "Strada del Vino Terre Sicane", que promove a rota do vinho em Terre Sicane, na Sicília.

"Gabriella é certamente a melhor embaixadora do vinho siciliano e um exemplo a ser seguido por todas as pessoas que trabalham no setor", acrescentou.

Para a empreendedora, é um reconhecimento que a deixa "feliz", pois ela está "muito ligada às 'Terre Sicane' [território composto por cidades como Contessa Entellina, Sambuca di Sicilia e Santa Margherita Belice], onde existem 270 hectares de videiras".

"Esta é a terra da minha vida. Aqui, com meu marido e meu filho, pudemos fazer crescer nossa vinícola. Com sacrifício e dedicação, sempre privilegiamos a qualidade, um valor que permitiu revelar ao mundo a unicidade da nossa viticultura", completou.

O nome "Donnafugata" significa "donna in fuga" (mulher em fuga, na tradução livre), em referência à história de uma rainha que encontrou refúgio na Sicília, no local em que hoje a empresa cultiva seus vinhedos. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA