Após acusação de racismo, Gucci nomeia 1ª chefe de diversidade

Grife italiana se envolveu em polêmica ao lançar um suéter

Medida foi tomada após lançamento do suéter que conta com balaclava que simula 'blackface'
Medida foi tomada após lançamento do suéter que conta com balaclava que simula 'blackface' (foto: Reprodução/Twitter)
13:50, 31 JulSÃO PAULO ZCC

(ANSA) - A grife italiana Gucci anunciou Renée Tirado como diretora global de sua primeira divisão de diversidade, equidade e inclusão, revelou um comunicado divulgado à imprensa.

A nomeação ocorre após a marca criar o departamento de diversidade depois do lançamento de uma peça considerada racista.

De acordo com a Gucci, o objetivo da nova diretora é criar novas estratégias para aumentar a representatividade e tornar o ambiente de trabalho mais inclusivo.

No início do ano, a marca foi acusada de cometer racismo após lançar um suéter de lã preta que se assemelhava a uma "blackface", prática de pintar o rosto com carvão ou tinta preta para emular a pele de uma pessoa negra.

A peça tinha uma espécie de balaclava que chegava até o nariz e tinha a abertura da boca na cor vermelha, simulando um rosto negro com lábios grandes.

Após a polêmica, a grife italiana se desculpou e retirou a vestimenta de suas lojas físicas e online, além de anunciar um programa para a contratação de funcionários negros e o aumento da diversidade étnica.

Renéé Tirado é conhecida por exercer o mesmo cargo na liga americana de basquete. Na Gucci, ela trabalhará em Nova York e responderá diretamente para o CEO da grife, Marco Bizzarri. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA