Conheça os caminhos de São Francisco na Itália

Cidade de Assis e o trajeto são Patrimônios da Unesco

Conheça os caminhos de São Francisco na Itália
Conheça os caminhos de São Francisco na Itália (foto: Ansa)
14:36, 11 SetASSIS ZCC

(ANSA) - Exaltada por sua arte, cultura, gastronomia e arquitetura, a Itália é um irresistível ponto turístico e abriga o maior número de locais declarados Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco, incluindo dois destinos desejados na região da Úmbria: Assis e os lugares ligados a São Francisco.

Os caminhos de São Francisco de Assis são percursos de peregrinação inspirados na vida do santo. No entanto, o trajeto não precisa necessariamente ter motivações religiosas, principalmente por ser uma viagem que contempla a natureza e até locais medievais.

Entre os principais monumentos está a Basílica de San Salvatore di Spoleto, erguida antes do século 9 em torno do local do enterro de dois mártires cristãos, Concordio e Senzia, e o templo de Clitunno, em Campello.

A cidade de Assis; a Igreja de São Damião; o Eremo delle Carceri, um complexo eremitério localizado a 791 metros acima do nível do mar sobre o Monte Subasio; o Santuário de Rivotorto; e a Basílica de Santa Maria degli Angeli também são maravilhas históricas, artísticas e arquitetônicas que devem ser preservadas e visitadas.

Anualmente, esses locais são o objetivo de milhões de peregrinos deslocados de todo o mundo, principalmente porque Assis é a cidade onde Francisco, o famoso santo e padroeiro da Itália, nasceu e deu origem a Fundação da Ordem dos Frades Menores.

Os principais pontos turísticos da cidade fazem referência ao santo da Igreja Católica e são transformados em majestosos santuários por viajantes e religiosos que realizam a rota franciscana.

O trajeto tem início na basílica onde o artista fiorentino Giotto representou a história de Francisco em vários afrescos. A estrutura, um exemplo excepcional de um complexo arquitetônico, abriga duas igrejas sobrepostas, a inferior datada de 1228 e a superior de 1253, e uma cripta, escavada em 1818 com a tumba do santo, onde os restos repousam em um simples sarcófago apoiado na rocha.

A partir deste local sagrado, é possível caminhar em direção ao centro ou ao longo das muralhas da cidade, pelas ruas medievais e degraus cheios de vistas românticas, incluindo a paisagem deslumbrante do vale da Úmbria.

A igreja de Santa Chiara do século XIII, fundadora da ordem das Clarissas; a catedral de São Rufino, com fachada do século XIII; e a igreja de São Pedro do século XIII, assim como a Basília de Santa Maria Maggiore e a Nova Igreja de 1615 também fazem parte do patrimônio histórico relacionado ao São Francisco.

Um local fundamental para ficar mais próximo da história de vida do santo é a igreja de São Damião, onde ocorreu sua conversão perante a um grande crucifixo, hoje encontrado na capela das relíquias de Santa Chiara.

Outro símbolo da espiritualidade franciscana e um local protegido é a Porziuncola, uma pequena capela fundada no século IV por peregrinos que retornaram de Jerusalém, localizada na basílica de Santa Maria degli Angeli, a cerca de 5 km de Assis, onde constituiu o primeiro convento estável da ordem franciscana.

Lá perto, na noite de 3 de outubro de 1226, o frade morreu em uma cabana simples que se tornou a Cappella del Transito, transformada, em 1569, em uma basílica, por ordem do Papa Pio V.

Em Spoleto, a Basílica de San Salvatore, uma obra-prima da arquitetura sagrada antiga, está temporariamente fechada ao público, mas a partir da porta principal é possível olhar o interior e admirar seus três afrescos sobre o religioso. Não muito longe, em Campello sul Clitunno, por outro lado, é possível visitar o templo artístico, em uma estrutura romana antiga que pode ser acessada por duas escadas laterais e abriga vários afrescos e decorações. (ANSA).
   

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA