O mapa dos mercados de Natal de norte a sul da Itália

Feiras celebram tradições locais e movimentam turismo

Foto do mercado de Natal de Ortisei, na Itália
Foto do mercado de Natal de Ortisei, na Itália (foto: Divulgação/Ortisei )
12:54, 17 DezSÃO PAULO ZRS

(ANSA) - Por Renan Tanandone - Como manda a tradição, o fim de ano é a época dos famosos mercados natalinos na Itália. As feiras, que acontecem em muitos municípios do país, por menores que sejam, comercializam peças de artesanato, presentes e produtos típicos de cada região.

As cidades italianas se organizam como podem para realizar os mercados, que acontecem em praças e até mesmo em museus, castelos e palácios. Apesar de serem tradicionais em vários países, não se sabe exatamente quando os mercados de Natal surgiram. Os registros mais antigos datam de 1200 a 1300, na Alemanha, Áustria, França e Suíça.

Com menos de 5 mil habitantes, a cidade de Ortisei, na região do Trentino-Alto Ádige, recebe há seis anos sua tradicional feirinha natalina, com 20 barracas. Na edição de 2019, o evento ocorre até o dia 6 de janeiro de 2020.

Para Beatrix Insam, diretora do Departamento de Turismo de Ortisei, o mercado natalino da cidade é um "ponto de encontro" entre a população local e os turistas.

"O mercado em Ortisei é, antes de tudo, uma oferta adicional para os turistas que ficam no Vale Gardena. Os 20 expositores oferecem delícias culinárias típicas, ideias para presentes, esculturas de madeira, mel artesanal, brinquedos e produtos típicos, como o canedele", explicou Insam em entrevista à ANSA.

Já na região de Friuli Veneza Giulia, a cidade de Sauris, com seus com quase 400 habitantes, organiza há mais de 23 anos o seu mercado de Natal, que ocorre na vila de San Lorenzo.

Durante o ano, a pequena Sauris é um destino turístico para atividades naturais, como trekking, esqui e canoagem. Mas, no Natal, o vilarejo também é lembrado por sua gastronomia, principalmente pela cerveja Zahre e o presunto cru adocicado Zahre.

Para a ANSA, Fabiana Gorassini, responsável pelo gabinete de informações turísticas de Sauris, disse que o mercado natalino da cidade recebe centenas de visitantes das regiões da Lombardia, Emilia-Romagna, Vêneto, Trentino-Alto Ádige e Friuli Veneza Giulia, assim como da Áustria e da Eslovênia.

"Sauris é um destino conhecido por sua natureza e suas tradições, pois é uma ilha de língua alemã, onde ainda é falado um antigo dialeto que remonta ao século 11, o carintiano. Os turistas podem encontrar artesanatos, produtos agroalimentares, do presunto ao queijo de leite cru produzidos em nossas pastagens nas montanhas, compotas e xaropes produzidos com nossas frutas, chás de ervas e flores medicinais", afirmou Gorassini.

Na Emilia-Romagna, Fontanellato também organiza seu mercado de Natal. Assim como Sauris e Ortisei, o vilarejo realiza o evento em sua principal praça, mas com um diferencial: as barraquinhas foram montadas em torno do fosso que circunda o castelo Rocca Sanvitale.

Com cerca de 7 mil habitantes, Fontanellato fica perto de Parma, no norte do país. Além de poder degustar diversos pratos locais e comprar produtos típicos da região, o público tem o iluminado castelo compondo o visual durante o passeio.

Flaminia Tortelli, secretária de Comércio de Fontanellato, afirmou que o mercado natalino é uma "boa oportunidade" para a cidade, pois aumenta o número de visitantes durante o fim de ano.

"Para a economia e o turismo da cidade, o mercado de Natal é muito importante, pois traz turistas e, consequentemente, os habitantes locais trabalham. Nos meses frios, quando geralmente há menos turistas, é uma boa oportunidade para Fontanellato", destacou Tortelli.

"Os visitantes podem encontrar a esplêndida Rocca Sanvitale, ainda com o fosso ao seu redor e que tem a única câmara óptica na Itália, que foi decorada para o Natal. Dentro do mercado de Natal fazemos passeios e trouxemos barracas com itens de artesanato e comida", finalizou Tortelli.

Mas é em Bolzano, na praça Walther, que acontece o mercado de Natal mais famoso da Itália. Ao todo, 80 barracas vendem comidas típicas, objetos e itens de decoração e promovem passeios culturais pelas construções medievais da cidade.

A capital da Itália, Roma, também tem seu próprio mercado de Natal. Tradicionalmente, a feira ocorre na Praça Navona, em frente à Embaixada do Brasil, e conta com 70 expositores.

O evento, que acontecerá até 6 de janeiro, recebe shows de diversos estilos musicais e exposições de brinquedos e presépios. O público também pode encontrar bancas para provar as famosas castanhas assadas da região e tomar chocolate ou vinho quente.

Já o mercado de Milão, na Lombardia, ocorre nos arredores do Castelo Sforzesco e reúne 300 expositores. A grande novidade para 2019 é a montagem de uma vila de Natal no hipódromo do San Siro, na Piazzale dello Sport.

O parque temático tem 30 mil metros quadrados e abriga personagens de elfos, brinquedos e um correio do Papai Noel. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA