Segunda livraria mais antiga da Itália fecha as portas

Paravia, em Turim, havia sido fundada em 1802

Livraria Paravia era comandada por duas irmãs e enfrentava problemas financeiros (foto: ANSA)
20:15, 15 JanROMA ZLR

(ANSA) - A livraria Paravia, situada em Turim e considerada a segunda mais antiga da Itália, fechou suas portas e encerrou mais de 200 anos de atividade.

A loja era comandada pelas irmãs Sonia e Nadia Calarco, que herdaram o negócio de sua família, e estava fechada para as festas de fim de ano desde 28 de dezembro. Nesta terça-feira (14), em uma mensagem no Facebook, as proprietárias anunciaram o encerramento definitivo das operações da Paravia.

"A foto que postamos em 28 de dezembro mostra os rostos sorridentes dos nossos últimos clientes de 2019, mas também da história de nossa livraria", diz o texto.

A mensagem inclui agradecimentos a leitores, agentes literários, escritores, editores e familiares. "Herdamos esse ofício fascinante de nosso pai e investimos todas as nossas energias para tentar fazê-lo do melhor modo possível. Agradecemos à nossa mãe, que nos apoiou moral e economicamente, esperando silenciosamente que encontrássemos a força de dizer 'chega'", afirmam Sonia e Nadia.

A livraria Paravia havia sido fundada em 1802 e estava em atividade desde então, mas vinha sofrendo com a concorrência de gigantes do comércio eletrônico.

"O problema não é o comércio online, mas a Amazon, que atraiu os clientes com descontos exagerados - uma vez que a Itália não tem uma lei que proteja os livreiros - e depois os habituou a ter os produtos em casa em pouquíssimo tempo e com uma variedade incrível", declarou Sonia, citada pelo jornal La Repubblica. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA