Conheça 10 lagos fora das rotas clássicas da Itália

Do Alto Ádige à Calábria, lugares encantam turistas e moradores

Lago de Sorapis (foto: Ansa)
11:33, 05 JunTARVISIO ZGT

(ANSA) - Por Ida Bini - Espelhos de água doce imersos em uma paisagem verde de um prado, no topo de uma cordilheira ou escondido em meio a um bosque.

A Itália é rica na quantidade de lagos, muitos dos quais pouco frequentados, que merecem ser descobertos pela sua beleza e pela sensação de paz e serenidade que oferecem.

Uma viagem do norte ao sul do país fora das rotas turísticas tradicionais.

- Dobbiaco:

O lago de Dobbiaco é uma pequena bacia alpina situada em Val Pusteria, a 1.176 metros de altura, na província de Bolzano com vista para os três cumes de Lavaredo. Esse espetáculo da natureza está na divisa de dois parques naturais: o das Dolomitas de Sesto e o de Fanes-Senes-Braies.

Mesmo com as cores "tropicais" convidando para um mergulho, entrar na água é desaconselhado por conta das baixíssimas temperaturas. O mais indicado é fazer um passeio de barco ou pedalinho. No inverno, porém, ele fica completamente congelado e é usado para a prática do curling ou da patinação.

Ao redor do lago, foi construído um percurso natural que percorre todo o perímetro com diversas placas informativas sobre a flora e a fauna da área.

- Tenno:

Uma pequena joia natural, o lago de Tenno, na província de Trento, encanta pelo azul turquesa das suas águas límpidas e as pedras brancas no fundo do terreno, dando uma atmosfera tropical ao local.

Da margem do lago, que está a 570 metros de altura nas encostas do Monte Misone, parte um percurso a pé e ciclístico que segue pelo perímetro do lago e permite chegar a Tenno, a homônima cidade medieval dominada por um imponente castelo que surge em um grande rochedo.

- Predil:

A cerca de 10 quilômetros ao sul de Tarvisio, na província de Údine, está o lago del Predil, um espelho de água limpa e fria de cor verde-azulada intensa e com uma pequena ilha misteriosa e interessante no seu interior.

O lago é caracterizado pela praia e conta com barcos, pedalinhos, surf bike e caiaque para navegar sobre suas águas coloridas e para admirar a paisagem de tirar o fôlego dos Alpes Julianos, na fronteira com a Eslovênia.

- Sorapis:

No coração das Dolomitas em Belluno, a alguns quilômetros de Cortina d'Ampezzo, está o pequeno, mas espetacular lago di Sorapis. Localizado a 1.923 metros de altura, ele é circundado pelos cumes que são patrimônio da Unesco e do histórico refúgio Alfonso Vandelli.

Chega-se a ele de carro, em uma rota de beleza natural até chegar ao lago, cujas águas azul-turquesa e as paredes rochosas extremamente brancas contrastam com o verde dos bosques próximos.

- Malciaussia:

Feito de maneira artificial, mas igualmente espetacular, o lago de Malciaussia, na província de Turim, surge a 1.800 metros de altura no vale de Viù, incluindo a comuna de Usseglio.

Acessível também por carro, o lago oferece passeios, excursões, áreas para descanso e a possibilidade de admirar águias, marmotas e íbex em seu habitat entre o monte Lera, o Rocciamelone e a colina Autaret que são espelhados nas águas do lago. O refúgio Vulpot é um lugar de descanso para quem faz o caminho da Grande Travessia dos Alpes (GTA).

- Fiastra:

Também o lago de Fiastra, na província de Macerata, é artificial. Ele surge a 685 metros de altura no parque nacional dos Montanhas Sibillini e foi construído em 1955 para fornecer energia elétrica no vale do Fiastrone.

Hoje, é um dos ângulos mais encantadores das Marcas, um lugar ideal para relaxamento, tomar banhos, praticar esportes, fazer excursões entre castelos e abadias e pedalar ao longo de sua pista que percorre todo o lado direito do lago. O azul intenso e a limpidez das suas águas, inclusive, são uma válida alternativa para as praias cheias da costa.

- Scanno:

O lago de Scanno aparece como um coração desenhado na natureza selvagem de Abruzzo. Localizado entre as montanhas de Marsicani, a 922 metros de altura, é um local encantador onde é possível descansar e fazer excursões entre pequenas igrejas em meio a uma natureza espetacular onde vivem lobos, ursos e raposas vermelhas.

As suas águas límpidas e de cor verde-esmeralda são balneáveis e navegáveis com barcos e pedalinhos. Não há praias, mas os declives do terreno permitem que os bancos de areia sejam facilmente alcançados.

- Turano:

O lago de Turano também é artificial e está localizado na província de Rieti, na margem ocidental da reserva natural monte Navegna e monte Cervia. Surge a 536 metros de altura ao longo do rio Turano e tem um perímetro de cerca de 36 quilômetros.

Criado em 1939 para produzir energia elétrica para a região, em seus bancos de areia encontram-se castelos, antigas vilas e os centros habitados de Ascrea e Paganico Sabino. O lago é um belíssimo oásis de biodiversidade e ponto de partida para excursões para a descoberta de um patrimônio histórico e cultural ao redor de Castel di Tora, uma das comunas mais lindas da Itália.

- Nabi:

Os lagos Nabi são os primeiros oásis naturais da Campânia, nascidos do novo desenvolvimento ambiental de alguns locais praticamente abandonados no litoral Domizio de Caserta.

Tornou-se um lugar único de seu tipo, no qual a água desenha uma paisagem em uma área de cerca de 400 mil metros quadrados. Aqui nasceu o primeiro glamping (o termo usado para os acampamentos com glamour) do sul da Itália. Ao redor da água, é possível fazer passeios e piqueniques enquanto no lago é permitido praticar esportes.

- Ampollino:

A 1.278 metros de altura no platô de Sila, na Calábria, está o lago Ampollino, uma bacia artificial construída em 1927 e que banha três províncias: Cosenza, Crotone e Catanzaro.

Encrustado entre as altas montanhas de Scorciavuoi, Zingomarro, Gariglione e Montenero, o lago se transformou em uma joia natural, circundado por florestas de coníferas, abetos, pinheiros e azinheiras, um local perfeito para o turismo de inverno com os teleféricos, mas também de verão, quando pode-se atravessar o lago de pedalinho. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA