Mausoléu de Augusto será reaberto em Roma após 14 anos de restauro

Tumulo do imperador, que morreu em 14 d.C., foi restaurado

Tumulo do imperador, que morreu em 14 d.C., está localizado em Roma (foto: ANSA)
17:51, 07 JanSAN PAULO ZCC

(ANSA) - Após décadas de esquecimento, o Mausoléu de Augusto, obra-prima desejada pelo primeiro imperador de Roma para abrigar seus restos mortais e que se localiza no famoso Campo de Marte, reabrirá suas portas ao público no início de março.

O monumento, que está fechado há 80 anos, é a maior tumba circular do mundo e foi construído em 28 a.C. perto das margens do rio Tibre. A restauração do local teve duração de 14 anos e custou 10 milhões de euros.

"Depois de 14 anos, este monumento único se reabre para o mundo. É um momento histórico", anunciou a prefeita de Roma, Virginia Raggi, afirmando que o local será aberto aos turistas no dia 1º de março, com entrada gratuita até 21 de abril, data em que a "cidade eterna" celebra sua fundação em 753 a.C.

Segundo a política do Movimento 5 Estrelas (M5S), os romanos terão acesso sem custo durante todo o ano de 2021. "É um presente que dou aos meus concidadãos", declarou.

O site oficial para fazer reservas está em funcionamento desde o último dia 21 de dezembro. As visitas serão organizadas de acordo com os regulamentos das autoridades sanitárias contra a pandemia de Covid-19.

Além da restauração da infraestrutura, o espaço será equipado de tecnologias 3D, jogos de luz, músicas e novos painéis nas cancelas que contam a história do local, que, ao longo dos anos, sofreu diversas mudanças após a queda do Império Romano. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA