Data odierna
Agência Italiana de Notícias
Clima Clima
Siga-nos ... Siga nos no Facebook Siga nos no Twitter Siga nos no Rss

Crimeia é palco de confronto entre manifestantes

Crimeia diz que esta a "Primavera" da região

Manifestantes apoiam a Ucrânia em protesto em Kiev (foto: EPA)
Manifestantes apoiam a Ucrânia em protesto em Kiev (foto: EPA)
10 Março, 08:27SIMFEROPOLIZCC

(ANSA) - Manifestantes que apóiam a Rússia e pessoas favoráveis à Ucrânia entraram em confronto em Sebastopoli, na Crimeia, durante um comício em ocasião do 200º aniversário de nascimento do poeta ucraniano Taras Shevtcenkp, um dos símbolos da independência do país.
    Em Simferopoli, capital da Crimeia, cerca de 5 mil pessoas estão reunidas na Praça Lenin. Os manifestantes exibem bandeiras russas, da Crimeia e até mesmo de Cuba.
    Ao mesmo tempo, centenas de pessoas pró-Ucrânia estão protestando em um vilarejo próximo à Simferopoli. Os manifestantes favoráveis à Ucrânia exibem o slogan "Não à guerra".
    O primeiro-ministro da Crimeia, Serghei Aksionov, declarou aos manifestantes que apóiam a Rússia que Moscou está "apenas esperando o nosso sim" e afirmou que esta é a "Primavera da Crimeia". "Em 16 de março será decidido o futuro da Crimeia", completou.
    O vice-primeiro-ministro da Crimeia, Rustam Temirgaliyev, afirmou que a Ucrânia cortou os apoios financeiros à região, bloqueando o sistema eletrônico do Tesouro e contas da península. Temirgaliyev rebateu afirmando estarem prontos a "abrirem contas em bancos russos, inclusive com a moeda local".
    "Nós não ficaremos sem pensões, a situação está sob controle", declarou o vice-primeiro-ministro.
    O primeiro-ministro da Ucrânia, Arseni Iatseniuk, afirmou que não irá ceder a Crimeia à Rússia. "É a nossa terra, não cederemos nenhum centímetro", afirmou o premier durante as festividades em Kiev do nascimento do poeta Shevtcenkp, mas afirmou que farão o possível para "resolver a crise da Crimeia com meios políticos e diplomáticos". (ANSA)

Todos os direitos reservados. 2013 © Copyright ANSA