Para Putin, Ucrânia é álibi do ocidente para sanções

Segundo o presidente, EUA e UE temem crescimento da Rússia

O presidente Vladimir Putin discursou no Parlamento russo
O presidente Vladimir Putin discursou no Parlamento russo (foto: EPA)
11:31, 04 DezMOSCOU ZAR

(ANSA) - No tradicional discurso à nação, realizado no Parlamento, o presidente russo Vladimir Putin afirmou que a crise na Ucrânia é um "álibi" para as sanções impostas pela União Europeia (UE) e pelos Estados Unidos ao país, com o objetivo de enfraquecê-lo.


    "Tenho certeza que se tudo isso não tivesse ocorrido, eles teriam inventado algum outro motivo para conter o crescimento da Rússia", afirmou o líder russo, que defendeu a postura do seu governo em relação à crise no país vizinho. Em seu discurso, Putin afirmou que vê justiça na ocupação de parte da Ucrânia por milícias separatistas pró-Rússia.


    "Cada nação tem o direito inalienável de seguir o seu próprio caminho de desenvolvimento, isso também vale para a Ucrânia ", afirmou o presidente.

     Apesar das críticas, Putin negou a intenção de isolar o país do ocidente. "Não pensamos em romper relações com a Europa e os Estados Unidos. Mas, ao mesmo tempo, restabeleceremos e ampliaremos nossos vínculos com o continente sul-americano, seguiremos cooperando com a África e países do Oriente Médio", disse.

    Conflito na Chechênia - Segundo o Comitê Antiterrorismo da Rússia, dez policiais morreram e 28 ficaram feridos após um ataque contra um posto policial, em Grozny, capital da Chechênia. Ao menos nove guerrilheiros foram mortos no conflito. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA