EI pretende vender corpo de Foley aos EUA por U$1 mi

Terroristas mataram mais de 5 mil em novembro, diz estudo

O jornalista James Foley foi sequestrado e decapitado pelo grupo Estado Islâmico
O jornalista James Foley foi sequestrado e decapitado pelo grupo Estado Islâmico (foto: ANSA)
15:00, 11 DezLONDRES ZAR

(ANSA) - Um milhão de dólares (R$ 2,6 milhões). Esse é o preço que o grupo Estado Islâmico (EI, ex-Isis) estaria pedindo aos EUA pelos restos mortais do jornalista James Foley, decapitado pelos jihadistas em agosto. A notícia foi divulgada nesta quinta-feira (11) pelo site norte-americano BuzzFeed.


    O corpo de Foley seria levado até a Turquia, onde a troca seria realizada. O EI estaria disposto a mandar uma amostra de sangue aos EUA para comprovação de DNA de Foley.
    A família do jornalista não comentou a notícia. O governo dos EUA estaria debatendo a possibilidade de acordo.


    Vítimas do terrorismo - O número de vítimas de grupos terroristas chegou a 5.042 em novembro. É o que aponta estudo realizado pela Bbc World Service e o Centro de Pesquisa sobre Radicalizações (Icsr) do King's College, em Londres. Segundo o documento, a ameaça terrorista é a mais forte que já existiu.


    O Iraque detém o recorde de mortos, seguido de Nigéria, Afeganistão e Síria. O EI lidera o número de execuções, com 44%, ou seja, cerca de 2.206 crimes. O Boko Haram, da Nigéria, seria responsável por 801 crimes. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA