Alemanha, Itália e França enviam carta à UE sobre imigração

Países pedem política de imigração mais 'ativa e inclusiva'

Chanceleres enviaram carta para Federica Mogherini sobre imigração
Chanceleres enviaram carta para Federica Mogherini sobre imigração (foto: EPA)
14:53, 17 JunBERLIM ZGT

(ANSA) - Em uma carta conjunta enviada nesta quarta-feira (17), os chanceleres da Itália, França e Alemanha propõem para a alta representante para Política Externa e Segurança da União Europeia, Federica Mogherini, uma "política de imigração externa mais ativa e inclusiva" no bloco.

 

O documento, assinado por Paolo Gentiloni, Laurent Fabius e Frank-Walter Steinmeier, tem como objetivo dar "uma contribuição a uma visão comum da UE sobre a imigração". Eles enfatizaram a "importante" decisão do Conselho Europeu de organizar uma operação para "interromper o modelo de negócios dos traficantes de vidas humanas no Mediterrâneo como parte de uma resposta completa da União Europeia".

 

A carta enviada para Mogherini pretende mostrar a união dos países - mesmo que, recentemente, outros representantes políticos tenham entrado em confronto sobre suas visões para enfrentar o problema.

 

Há dois dias, o ministro francês do Interior, Bernard Cazeneuve, afirmou que a Itália "deveria assumir suas responsabilidades" com o tema e não deixar que os imigrantes que chegam ao país viajassem para outra nação sem ter requerido seu asilo.

 

A frase causou revolta no primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, que disse que se a Europa não se preocupasse com a imigração a Itália "iria resolver sozinha" porque já "possui um plano B".

 

Na semana que vem, entre os dias 25 e 26, o Conselho Europeu - que reúne os chefes de Estado e de governo dos 28 Estados-membros da UE - tentarão achar uma saída para a crise imigratória. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA