UE prorroga sanções econômicas à Rússia até janeiro de 2016

Decisão será formalizada na próxima segunda-feira (22)

Governo de Putin terá que lidar com sanções até janeiro de 2016
Governo de Putin terá que lidar com sanções até janeiro de 2016 (foto: EPA)
11:02, 18 JunBRUXELAS ZGT

(ANSA) - O Comitê dos Representantes Permanentes da União Europeia (Coreper) aprovou nesta quarta-feira (17) a prorrogação das sanções econômicas contra a Rússia até o dia 31 de janeiro de 2016. A decisão será formalizada na próxima segunda-feira (22), durante a reunião dos chanceleres europeus.

 

As medidas, impostas contra os russos desde julho de 2014, são reflexo do papel do governo de Vladimir Putin sobre a crise na Ucrânia.

 

As sanções atingem diversos setores fundamentais da economia de Moscou, especialmente o setor de bens, o mercado financeiro, o fornecimento militar (também para uso civil) e a tecnologia sensível (especialmente no campo energético).

 

Além dos europeus, os Estados Unidos também impuseram punições nos setores de energia, bélico e de finanças. Na semana passada, o governo Putin respondeu às medidas divulgando uma "lista negra" de 89 dirigentes da Europa que não podem entrar em território russo.

 

A decisão do Coreper segue na linha dos anúncios após a reunião do G7 em Elmau, na Alemanha, no dia 8 de junho. Na época, o presidente da França, François Hollande, e a chanceler alemã, Angela Merkel, se mostraram dispostos a manter as punições até que a Rússia implementasse todo o acordo de cessar-fogo assinado em Minsk - em fevereiro deste ano.

 

O documento prevê, entre outros pontos, a saída total dos militares russos e de todo seu armamento do território ucraniano e o completo respeito à trégua de paz nas regiões de conflitos. Porém, quatro meses após a assinatura, a morte de combatentes de ambos os lados é diária. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA