Jornal 'Charlie Hebdo' satiriza morte de Aylan

Menino sírio virou símbolo da crise imigratória no mundo

Charlie Hebdo é conhecido por ironizar muçulmanos
Charlie Hebdo é conhecido por ironizar muçulmanos (foto: EPA)
14:41, 15 SetPARIS ZGT

(ANSA) - Nove meses após ser destaque no mundo por um atentado que matou 12 pessoas em sua redação, o jornal satírico "Charlie Hebdo" voltou aos holofotes. Duas imagens divulgadas pela internet mostram charges ironizando a morte do menino sírio Aylan Kurdi, 3 anos, em uma praia turca.

 

Na capa, aparece uma charge com o corpo do menino na praia e um outdoor satirizando o personagem símbolo do McDonald's. "Bem vindos imigrantes. Promoção: dois menus crianças pelo preço de um", escreve na imagem com a frase "tão perto do objetivo...".

 

Na outra, um homem que lembra Jesus Cristo diz: "A prova de que a Europa é cristã. Os cristãos andam sobre a água. As crianças muçulmanas afundam". Ambas as charges causaram uma avalanche de críticas nas redes sociais, acusando o periódico de xenofobia. Os desenhos foram feitos por Laurent Riss Sourisseau, sobrevivente do ataque contra a redação do jornal em janeiro deste ano.

 

A imagem do corpo de Aylan na praia causou indignação ao redor do mundo e fez com que os países europeus tomassem medidas para aceitar os imigrantes que vem de diversos países, especialmente da Síria. Apesar disso, a União Europeia ainda não definiu uma legislação que possa ajudar essas pessoas. (ANSA)

Todos los Derechos Reservados. © Copyright ANSA